Logo Folha de São Paulo
Brasil

Programa de passagem de avião a R$ 200 terá aplicativo; saiba como funcionará

Ministro Márcio França detalhou parte da medida em entrevista para o programa A Voz do Brasil; descontos começam em agosto

Em | Da Redação com informações de Folha de São Paulo

Atualizado em

Programa de passagem de avião a R$ 200 terá aplicativo; saiba como funcionará
Latam vende passagens nacionais e internacionais com preços promocionais por tempo limitado

O Programa Voa Brasil, de venda de passagens aéreas por até R$ 200, terá um aplicativo no qual o consumidor poderá se cadastrar e ser beneficiado com o valor menor. A medida deve começar em agosto, segundo o ministro dos Portos e Aeroportos, Márcio França.

Em entrevista ao programa A Voz do Brasil na noite de terça-feira (27), o ministro afirmou que o desconto será dado a quem não realizou voos domésticos nos últimos 12 meses, detalhou parte das medidas e falou sobre as negociações com as empresas para a implantação. Cada pessoa terá direito a quatro passagens, cada uma a R$ 200, por ano.

A ideia, segundo ele, é ampliar o público a ser atendido pelas áereas para além dos que já viajam de avião habitualmente.

“Nós vamos criar um mecanismo novo, que é um aplicativo, que você vai digitar o seu CPF e se você não voou nos últimos 12 meses, você escreve lá: ‘eu quero ir de Brasília a Manaus’, aí vai te dar todas as opções, que é sempre por um único valor de R$ 200; R$ 200 de ida e R$ 200 de volta.”

O público-alvo do Voa Brasil inclui aposentados, pensionistas e estudantes ou pessoas que possuam renda de até R$ 6.800. O limite seria para evitar que usuários recorrentes de voos comerciais utilizem o programa e comprometam as vendas das empresas.

Na entrevista, o ministro afirmou que a intenção é incentivar novas pessoas a voarem. Segundo ele, as empresas aéreas acabam elevando o valor das passagens, tentando tirar o máximo dos que voam habitualmente. O motivo é que, como público da ponte aérea acaba sendo o mesmo, não há uma expansão do negócio, elevando a sustentabilidade.

“As empresas, elas acabam aumentando os preços tentando tirar o máximo de quem já voam. E isso é um equívoco, porque você fica rodando a mesma coisa nas mesmas pessoas”, afirmou.

França detalhou que o programa é uma resposta a um pedido do presidente Lula, que solicitou a ele trazer para o país empresas aéreas low cost, com voos de baixo valor. Antes, porém, o ministro procurou as maiores companhias do país para propor o programa, como forma de incentivar os negócios e manter os cerca de 15 mil empregos atuais dessas empresas.

“O presidente Lula me pediu para trazer para cá para o Brasil o que a gente chama de low cost, que são empresas que voam mais barato, e nós estamos trazendo. Elas vão chegar ainda neste ano aqui no Brasil. Mas eu achei justo avisar as três empresas que fazem no Brasil, que têm 10, 15 mil funcionários”, falou.

“Olha, nós vamos trazer low cost, vocês não querem aproveitar e fazer um preço mais barato de vocês antes que elas cheguem?”, foi o que o ministro afirmou ter dito às companhias. “Quando elas chegarem, elas vêm arrasando, elas fazem um preço muito mais barato. E elas [empresas do Brasil] toparam”, contou ele, sobre a negociação com as aéreas brasileiras.

Em março deste ano, França afirmou que, de acordo com seus cálculos, seria possível oferecer de 14 milhões a 15 milhões de passagens a R$ 200 por ano. O governo ainda pretende oferecer parcelamento em 12 prestações sem juros para impulsionar o programa.

O programa visa vender os assentos vagos de voos que não consegue ocupar toda a aeronave, gerando uma demanda ociosa de oferta. Nos meses de março a novembro, estima-se que aproximadamente 21% dos assentos não são ocupados, informou o ministro.

Segundo França, o atual modelo de negócio das companhias aéreas é equivocado por encarecer o custo de viagem com tarifas e serviços adicionais e impede que novos usuários possam ter acesso à modalidade.

As três principais companhias aéreas brasileira Latam, Gol e Azul já aceitaram participar do programa de barateamento de passagens, de acordo com o ministro.

Deixe sua opinião

Advertisements
20 - Banner Threads