Pernambuco

Líder de facção, preso pela Polícia Federal, tinha chupeta de ouro e mansão de R$2 milhões

A operação 'Astreia' cumpre nove mandados de prisão e 12 de busca e apreensão na Bahia, Pernambuco e Sergipe

Em | Da Redação

Atualizado em

Líder de facção, preso pela Polícia Federal, tinha chupeta de ouro e mansão de R$2 milhões
Até uma chupeta banhada a ouro foi encontrada com o líder do grupo – FOTO: POLÍCIA FEDERAL/DIVULGAÇÃO

Na manhã desta terça-feira (20), treze pessoas foram presas, nos estados da Bahia, Pernambuco e Sergipe durante operação contra um grupo criminoso especializado em tráfico de drogas. O líder do grupo foi encontrado em uma mansão de R$ 2 milhões, em Aracaju.

De acordo com a Polícia Federal, o suspeito nasceu em Juazeiro, no norte da Bahia, mas mora na cidade sergipana. Na casa onde o suspeito foi encontrado tinham dois carros de luxo, joias, e uma chupeta de bebê que parece ser banhada a ouro. Todos os materiais passarão por perícia.

A operação ‘Astreia’ cumpre nove mandados de prisão e 12 de busca e apreensão na Bahia, Pernambuco e Sergipe

De acordo com a Secretaria de Segurança Pública da Bahia (SSP-BA), também foram encontrados uma pistola, um revólver, carregadores, munições para pistola e fuzil, além de R$ 9 mil, drogas e coletas balísticos na cidade de Juazeiro, no norte da Bahia, e Petrolina, em Pernambuco.

Ao todo, 16 mandados foram cumpridos na Operação Astreia, um trabalho integrado entre as Polícias Federal e Militar da Bahia, com apoio da PM de Pernambuco e do Ministério Público.

 

Operação

A operação Astreia, deflagrada nos estados da Bahia, Pernambuco e Sergipe, cumpriu nove mandados de prisão temporária e 12 de busca e apreensão.

Nas primeiras horas da manhã, cerca de 70 policiais federais cumpriram os mandados com a participação dos Grupos de Pronta Intervenção (GPI) das Superintendências Regionais da PF na Bahia e Sergipe. Foi deferido também o sequestro de bens e bloqueio de valores de oito investigados.

Segundo as investigações, o grupo criminoso tem relação com uma série de delitos, dentre eles, tráfico de drogas, armas e homicídios.

Os investigados vão responder pelos crimes de organização criminosa, tráfico de drogas e lavagem de dinheiro. As penas podem chegar a 33 anos de reclusão. Caso seja comprovado homicídio, a pena é de 12 a 30 anos.

Asrtreia, na mitologia grega, é considerada a deusa da pureza, o que se correlaciona à suposta qualidade da droga comercializada pelo grupo criminoso. Além disso, a deusa Astreia traz a imagem da balança, símbolo da justiça, para lembrar aos homens que tudo tem seu contraponto.

Deixe sua opinião