Brasil

Após cobrança do MPF, Damares ignora caso em vídeo e alega “ódio a uma pastora”

Em | Da Redação

Atualizado em

Após cobrança do MPF, Damares ignora caso em vídeo e alega “ódio a uma pastora”

A ex-ministra da Mulher, Família e dos Direitos Humanos, Damares Alves (Republicanos), ignorou o pedido de esclarecimentos do Ministério Público Federal do Pará (MPF/PA) e disse ser alvo de “ódio da esquerda”.

Em um vídeo de quase três minutos a recém-eleita senadora alegou sofrer perseguições por ser pastora e disse que correr risco de morte. “Querem matar a mim e o presidente. Por que tanto ódio aos cristãos?”, perguntou.

A publicação de Damares foi feita nesta segunda-feira (10), horas após o MPF cobrar ao Ministério da Mulher, Família e dos Direitos Humanos explicações sobre a declaração de Damares de que crianças na Ilha do Marajó (PA) tiveram seus dentes arrancados para sexo oral. A declaração foi dada durante um culto na Igreja Assembleia de Deus Ministério Fama, em Goiânia (GO).

No vídeo publicado, Damares não falou diretamente do episódio no vídeo, e se limitou a divulgar uma postagem de 2 de outubro, data do primeiro turno das eleições, no qual ela teria sido ameaçada de morte.

Deixe sua opinião

Advertisements
20 - Banner Threads