Nos siga nas redes sociais

Cotidiano

Vídeo: Sob protesto, demolição de armazéns no Cais José Estelita é retomada pelo Consórcio Novo Recife

Decisões do STJ e do TJPE cassaram embargo e máquinas estão no local retomando a derrubada no terreno

Publicado

em

ás


Duas decisões judiciais autorizaram a retomada da demolição de dois armazéns do terreno do Consórcio Novo Recife no Cais José Estelita, no Centro do Recife. A derrubada dos armazéns foi reiniciada no final da tarde desta quinta-feira (28) com o suporte de uma retroescavadeira e de operários do grupo de construtoras que integram o consórcio, que continuaram trabalhando no local durante a noite. As decisões judiciais que dão sinal verde à derrubada não autorizam construções no imóvel.

Contrários ao projeto, um grupo de aproximadamente dez manifestantes do Movimento Ocupe Estelita que estão acampados no local entraram no terreno para evitar a demolição e subiram em uma retroescavadeira.  O clima é tenso no portão de acesso ao terreno e casos de hostilidade entre policiais e manifestantes estão sendo registrados no local, mas sem violência física. Outro grupo chegou a bloquear a Avenida Engenheiro José Estelita por alguns minutos, mas a via foi liberada na sequência.

Manifestantes contrários ao Projeto Novo Recife entram em área da demolição dos armazéns do Cais José Estelita â?? Foto: Pedro Alves/G1

Em Brasília, o Supremo Tribunal de Justiça (STJ) acatou um recurso especial e cassou o embargo da demolição na tarde desta quinta-feira (28), pelo ministro Benedito Gonçalves. Simultaneamente, o Tribunal de Justiça de Pernambuco (TJPE) também acatou um recurso da Prefeitura do Recife e suspendeu, no final da tarde desta quinta-feira (28), a liminar concedida pela 5ª Vara da Fazenda Pública que interrompia a demolição dos galpões.

O despacho que retoma a derrubada das instalações foi proferido pelo presidente do TJPE, desembargador Adalberto de Oliveira Melo. O magistrado apontou em seu despacho que o embargo que suspendia a demolição causava “insegurança e instabilidade nas relações jurídicas” e comprometia “a ordem pública necessária à condução do ordenamento urbano”.

Continue Reading
Publicidade
Clique para comentar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Copyright © 2013 - 2021 PortalPE10.