Nos siga nas redes sociais

Política

Programa de Marina defende que casamento gay vire lei na Constituição

Presidenciável do PSB lançou programa de governo nesta sexta em São Paulo

Publicado em

às

Candidata do PSB à Presidência da República, Marina Silva apresentou nesta sexta-feira (29) o seu programa de governo, em São Paulo. Em seu discurso, a ex-senadora apresentou seu desempenho nas eleições de 2010 e a comoção com a morte de Eduardo Campos como expressões do mesmo movimento que resultou nos protestos de junho de 2013 no País.

“A sociedade brasileira é que está fazendo a mudança. A sociedade mandou um sinal. Em 2010, a sociedade me deu 20 milhões de votos. Depois vieram as manifestações de junho [de 2013]. Agora uma liderança morre e a sociedade descobre depois… é há uma comoção nacional”, disse Marina.

Entre outros pontos, o programa de Marina defende que o casamento civil entre pessoas do mesmo sexo se torne uma lei na Constituiação, a unificação do calendário geral das eleições, o fim da reeleição e a adoção do mandato de cinco anos.

O casamento gay é permitido em todo o Brasil por decisão de maio de 2013 do Conselho Nacional de Justiça. O orgão deteminou que todos os cartórios do País aceitassem a união civil entre civil entre pessoas do mesmo sexo. Apesar disso, ainda não há uma lei sobre a questão. 

Questionada a falar sobre a proposta do casamento gay, Marina afirmou: “O nosso compromisso é que os direitos civis das pessoas sejam respeitados. Nós guardamos o respeito com o Estado laico”. 

Marina evitou citar diretamente a homossexualidade durante todo o evento. Coube a Neca Setúbal, coordenadora do programa, falar sobre o “direito civil da população LGBT”. O cuidado de Marina explica-se pela representatividade dos evangélicos no seu eleitorado.

A legalização da maconha foi outro assunto que Marina evitou falar diretamente. O assunto inclusive não está em seu programa de governo. Apesar disso, a candidata disse que não ignora o tema. 

 “Não está no programa. Mas estamos comprometidos com o debate. Eu em 2010 defendi um plebiscito”, disse Marina, ressaltando que vê o problema da droga comoquestão de saúde pública.

Continue Reading
Publicidade
Clique para comentar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Copyright © - 2022 PortalPE10 | O Portal que faz a Diferença.