Nos siga nas redes sociais

Cotidiano

Presídio em Palmares, abriga dez vezes mais detentos que sua capacidade

No lugar onde caberiam até 74 detentos, existem hoje 741 homens apanhados em celas pequenas e sem assistência médica.

Publicado em

às

Foto:Marcos Phelipe PortalPE10

Jornal do Comercio: O Presídio Rorenildo da Rocha Leão, no município de Palmares, na Mata Sul, é o hoje o maior símbolo da superlotação do sistema prisional de Pernambuco. A unidade abriga dez vezes a capacidade para qual foi projetada. No lugar onde caberiam até 74 detentos, existem hoje 741 homens apanhados em celas pequenas e sem assistência médica. Em dezembro, o Ministério Público de Pernambuco requisitou ao Estado, por meio da Secretaria de Ressocialização (Seres), a transferência de 200 deles. Mas, até agora, não há nenhum sinal de que o governo vá cumprir integralmente a medida.

No presídio, há homens que ainda aguardam julgamento, os chamados presos provisórios. E os que foram condenados, os sentenciados. Por ofício, o promotor Marcellus Ugiette argumentou que os detentos que ainda não foram julgados deveriam ser levados a unidades próximas às comarcas onde respondem a processos. Os que já estão no cumprimento da pena deveriam seguir para as penitenciárias situadas no local mais próximo possível de onde residem suas famílias, como determina a Lei de Execuções Penais.

No dia 18 de dezembro do ano passado, o promotor foi à unidade e constatou que não há médicos para assistir os presos, muito menos espaço exclusivo para o atendimento de saúde. A contratação imediata de um profissional foi recomendada. Caso o Estado não cumpra as determinações, o promotor estuda entrar com uma ação para que a Justiça o obrigue a fazer.

Governo do Estado

Em nota, a Seres afirmou que está providenciando a transferência de 18 presos. Outros 50 serão levados às cadeias públicas. “Falta ainda a homologação das respectivas comarcas”, disse, no texto. Sobre a falta de médicos, a secretaria admite a ausência. Como paliativo, “encaminha, uma vez por semana, um médico para atender a demanda da unidade”.

Em relação à superlotação, a Seres é evasiva. Diz que a capacidade do projeto original, de 74 homens, “não corresponde à realidade atual, tendo em vista as reformas e expansão da área”. Não, diz, porém, quantos homens o presídio de Palmares comporta e quantos abriga no momento. Apesar da posição da Seres, o MPPE e o Tribunal de Justiça de Pernambuco (TJPE) reconhecem como limite do presídio a lotação de até 74 homens.

Todas as 16 unidades – entre presídios, penitenciárias e um hospital de custódia e tratamento psiquiátrico – e as 69 cadeias públicas do Estado abrigam mais pessoas do que suportariam. Pernambuco, segundo a Seres, precisava ter três vezes a capacidade atual (10.500) para livrar o sistema prisional do rótulo de superlotado. Hoje são 29.967 detentos.

Continue Reading
Publicidade
Clique para comentar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Copyright © 2013 - 2021 PortalPE10 | O Portal que faz a Diferença.