Nos siga nas redes sociais

Mata Sul

Operação Torrentes: Justiça Federal condena 4 empresários e 3 militares envolvidos em desvio de verbas para vítimas de enchentes

Desta vez, a condenação ocorre por caus da contratação de uma empresa para aluguel de banheiros químicos e cabines com chuveiro para banho.Eles pegaram quatro anos e quatro meses de detenção.

Publicado em

às

(G1) | A Justiça Federal em Pernambuco (JFPE) condenou mais sete pessoas, sendo quatro empresários e três militares, por fraudes em licitações para ajudar vítimas de enchentes que deixaram mais de 80 mil desabrigados no estado, em 2010. Eles pegaram quatro anos e quatro meses de detenção.

A Operação Torrentes, deflagrada em 2017, apura crimes como dispensas indevidas de licitações e execuções irregulares de contratos do governo de Pernambuco, por meio da Casa Militar.

Desta vez, a condenação ocorre por causa da contratação de uma empresa para aluguel de banheiros químicos e cabines com chuveiro para banho.

De acordo com a denúncia do Ministério Público Federal (MPF), houve direcionamento para que uma empresa fosse contratada.

Além disso, a empresa não teria prestado os serviços da forma contratada. Anteriormente, outras três sentenças tinham sido proferidas, em processos diversos da mesma operação.

Entre os acusados estão empresários e ex-servidores públicos que trabalhavam na Casa Militar. A decisão foi proferida na segunda-feira (6), pelo juiz Cesar Arthur Cavalcanti de Carvalho, titular da 13ª Vara Federal de Pernambuco.

No caso dos militares, também houve a condenação por peculato, que é quando um servidor público se utiliza do cargo que ocupa para obter vantagem própria. Além disso, também foram aplicadas multas pelas lesões aos cofres públicos.

Os réus são os seguintes:

Empresários

Rafaela Carrazzone da Cruz Gouveia Padilha;
Ricardo José de Padilha Carício;
Ítalo Henrique Silva Jaques;
Taciana Santos Costa.

Servidores públicos

Tenente-coronel da PM Laurinaldo Félix Nascimento;
Coronel aposentado da PM Waldemir José Vasconcelos de Araújo;
Coronel Roberto Gomes de Melo Filho.

Respostas

Por meio de nota, a Casa Militar informou que tem apoiado a justiça em todo processo de investigação, “subsidiando o poder judiciário e os órgãos de controle com todos os documentos e informações solicitadas na busca do esclarecimento dos fatos”.

O g1 entrou em contato com o escritório de advocacia que defende os envolvidos, mas não recebeu resposta até a última atualização desta reportagem.

Operação Torrentes

Deflagrada em 9 de novembro de 2017 em atuação conjunta do MPF, da Polícia Federal, da Controladoria-Geral da União e da Receita Federal, a Operação Torrentes revelou a atuação de um grupo criminoso em fraudes na execução de ações de auxílio à população atingida pelas chuvas em Pernambuco. Outra fase da operação foi deflagrada em fevereiro de 2018.

A Operação Torrentes surgiu a partir de denúncias anônimas envidas à Controladoria Geral da União em Pernambuco. Ao todo, 12 denúncias foram oferecidas pelo MPF à Justiça Federal.

Continue Reading
Publicidade
Clique para comentar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Copyright © 2013 - 2021 PortalPE10 | O Portal que faz a Diferença.