Brasil
Incitar estupro de filhas de ministros não é liberdade de expressão, diz Moraes
Ministro votou a favor da legalidade e continuidade do inquérito das fake news. Supremo retomou julgamento nesta quarta; até agora, são três votos a favor do inquérito e nenhum contra.
Publicada em 17 de junho de 2020 às 14:42:05.
Por: Marcos André | Fonte: G1

alexandre de moraes: Últimas Notícias | GaúchaZH

O ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal (STF), disse nesta quarta-feira (17) que incitar estupro de filhas de ministros da Corte não é o mesmo que exercer a liberdade de expressão, mas sim um crime. Ele deu a declaração ao votar pela continuidade e legalidade do inquérito das fake news. Em seu voto, Moraes leu exemplos de ameaças publicadas contra ministros.

“ 'Que estuprem e matem as filhas dos ordinários ministros do STF'. Em nenhum lugar do mundo isso é liberdade de expressão. Isso é bandidagem, criminalidade. Postado por uma advogada do Rio Grande do Sul, incitando o estupro”, citou Moraes.



"Liberdade de expressão não é liberdade de destruição da democracia, instituições e honra alheia", completou o ministro.

Segundo o ministro, outro trecho de ameaça dizia: “ 'Quanto custa atirar à queima roupa nas costas de cada filho da p# ministro do STF que queira acabar com a prisão em segunda instância. Se acabar com a segunda instancia, só nos basta jogar combustível e tocar fogo do plenário com os ministros dentro' . Onde está aqui a liberdade de expressão?”, questionou Moraes

O ministro citou ainda o caso de um artefato que explodiu em frente à casa de um dos integrantes da Corte. “Para que se pare de uma vez por todas de se fazer confusões de críticas, por mais ácidas que sejam, que devem existir e continuar, com agressões, ameaças e coações”, explicou

Julgamento

Três ministros já se manifestaram a favor do prosseguimento do inquérito. Além de Moraes, o ministro Luís Roberto Barroso e o ministro Edson Fachin, relator do caso.

O julgamento analisa uma ação do partido Rede Sustentabilidade, que, em 2019 contestou a abertura do inquérito. Mas o próprio partido disse há três semanas que, diante da escalada das fake news, o inquérito deve continuar.

Foi no âmbito desse inquérito que o ministro Alexandre de Moraes autorizou uma operação, em maio deste ano, que realizou buscas e apreensões contra empresários e blogueiros ligados ao presidente Jair Bolsonaro. Para Moraes, existem provas que apontam para a "real possibilidade" de uma associação criminosa ter sido formada para a disseminação das fake news. Ele afirmou ainda que as informações falsas afetam a independência entre os poderes e põem em risco a democracia.

Incitar estupro de filhas de ministros não é liberdade de expressão, diz Moraes

"QUE ESTUPREM E MATEM AS FILHAS DOS ORDINÁRIOS MINISTROS": ALEXANDRE DE MORAES LÊ ATAQUES E AMEAÇAS

Em julgamento no STF (Supremo Tribunal Federal) sobre o inquérito das fake news, o ministro Alexandre de Moraes leu alguns dos ataques que têm sido feitos contra os membros da corte. Ele destacou que não se trata de liberdade de expressão, mas sim bandidagem.



Whatsapp PortalPE10 9 9974-3875 - Canal direto com nossa redação - Envie sua solicitação que uma equipe nossa irá atender você
Tags: Cotidiano,Brasil, PortalPE10
COMENTÁRIOS
Os comentários postados abaixo representam a opinião do leitor e não necessariamente a do PortalPE10.
A responsabilidade é do autor da mensagem.
2020 © Copyright. Todos os Direitos Reservados