Palmares
Publicada em 31 de maio de 2019 às 11:58:13. Atualizada em 31 de maio de 2019 às 12:04:41.
Policia Federal diz que mais de 100 pessoas em Palmares podem ter recebido ilegalmente benefícios do INSS
A operação Hodie, deflagrada nessa quinta-feira (30), identificou aproximadamente 98 benefícios fraudados. A estimativa é que o prejuízo aos cofres públicos tenha sido de R$ 5,6 milhões
Por: Marcos André | Fonte: PortalPE10



Um esquema fraudulento de benefícios do INSS (Instituto Nacional do Seguro Social) que acontecia no município de Palmares, na Mata Sul do Estado, foi alvo de operação da Polícia Federal de Pernambuco (PF/PE). A estimativa da PF é que o prejuízo aos cofres públicos tenha sido de R$ 5,6 milhões durante os últimos quatro anos.

A operação Hodie, que teve as investigações iniciadas em 2015 e foi deflagrada nessa quinta-feira (30), identificou aproximadamente 98 benefícios fraudados - entre auxílio-doença, aposentadorias por invalidez, aposentadoria por idade para segurado especial e benefícios de pensão por morte. A fraude era feita por um servidor do INSS e por um intermediário, cujos nomes não foram divulgados pela PF. 





Durante a operação, a PF cumpriu três mandados de busca e apreensão, sendo dois na residência de um servidor do INSS na cidade de Palmares e um em Água Preta, também na Mata Sul, na residência de um homem que atuava como intermediário das fraudes.

Segundo o chefe de comunicação da Polícia Federal em Pernambuco, Giovani Santoro, nas buscas foram apreendidos contratos de concessão de benefícios com indícios de fraudes e carteiras de trabalho falsas que eram utilizadas no golpe. 

“O intermediário procurava pessoas simples e humildes do Interior para que elas e o servidor do INSS pudessem usar documentos falsos na concessão de benefícios para essas pessoas”, contou. Ainda de acordo com Giovani, algumas das pessoas aliciadas sabiam que não tinham direito à aposentadoria e que estavam utilizando documentos falsos. 

“O intermediário e o servidor do INSS davam entrada no sistema com informações falsas. Eles usavam documentos que confirmavam o direito ao benefício e utilizavam carteiras de trabalho com informações fraudulentas”. 

Giovani disse ainda que, quando os benefícios eram concedidos, os aliciadores forçavam as pessoas a fazerem empréstimos consignados e que, quando esse empréstimo saísse, os aliciadores ficavam com o dinheiro - que era descontado mensalmente no benefício. Ninguém foi preso até o momento.

“Essa operação serviu para arrecadar os documentos necessários para confirmar a fraude. O servidor já foi demitido pelo INSS e a documentação apreendida vai passar por analise e novas pessoas envolvidas podem surgir. A PF não descarta a deflagração de uma nova operação para cumprir outros mandados de busca e apreensão e, quem sabe, prisões preventivas e temporárias”, disse. 

Se presos, os investigados poderão responder pelos crimes de estelionato qualificado, falsidade ideológica, uso de documentos falsos, peculato e inserção de dados falsos no sistema, além de outros crimes a serem revelados com a conclusão das investigações. As penas máximas somadas podem chegar a 35 anos de reclusão. Ainda de acordo com Giovani, o valor do prejuízo evitado é de pelo menos R$ 8,8 milhões.


Tags: Palmares, Mata Sul, INSS, PF, Água Preta
COMENTÁRIOS
Os comentários postados abaixo representam a opinião do leitor e não necessariamente a do PortalPE10.
A responsabilidade é do autor da mensagem.
2019 © Copyright. Todos os Direitos Reservados