Copa 2014
Fora da seleção, Julio Cesar não sabe o que fazer na carreira aos 34 anos
Goleiro, que tem contrato com o Toronto FC até 31 de dezembro.
Publicada em 14 de julio de 2014 às 10:24:01.
Por: Marcelo Passos

Julio Cesar anunciou sua aposentadoria da seleção brasileira após a campanha que só rendeu o quarto lugar ao anfitrião desta Copa do Mundo, sofrendo dez gols nos dois últimos jogos e se tornando o goleiro do país que mais vezes teve suas redes balançadas na história dos Mundiais. Diante da marca negativa, já não sabe o que fazer na carreira.

O jogador completará 35 anos em setembro e tem contrato com o Toronto FC, que disputa a liga norte-americana, até 31 de dezembro. O arqueiro, porém, está vinculado ao Queens Park Rangers até agosto de 2016. Mas, como raramente conseguiu atuar pelo clube inglês, é possível que mude seu rumo.

A dificuldade é saber o que fazer depois da frustração do torneio em casa. "Muita coisa passa pela minha cabeça. É complicado tomar qualquer tipo de decisão neste momento. Vou conversar com a minha família, com as pessoas que me conhecem muito bem. Vamos ver...", comentou.



Embora seja experiente, a terceira e última Copa da carreira de Julio Cesar ficará marcada negativamente. Mais até do que a de 2010, quando vivia o auge de sua carreira pela Inter de Milão, estando entre os melhores do mundo na posição e conquistando a Liga dos Campeões, o Mundial de Clubes, o Campeonato Italiano e a Copa da Itália de 2010, mas falhou na eliminação brasileira na Copa na África do Sul.

Em 2014, não ficou tão marcado por ume erro individual e até foi herói na decisão de pênaltis diante do Chile, nas oitavas de final. Mas chorou demais e, agora, espera apoio familiar. Inclusive dos filhos - seu primogênito, Cauet, chegou a subir no placo para erguer o troféu da Copa das Confederações de 2013 e, agora, deve passar forças ao pai. "Meu filho já entende muito bem, vai fazer 12 anos. Não preciso contar nada, ele viu tudo e, apesar de ser muito jovem, tem condições de tirar as suas próprias conclusões", comentou o goleiro, que se sente um campeão, independentemente de ter participado da maior humilhação em 100 anos de seleção brasileira, perdendo a semifinal da Alemanha por 7 a 1.

"Eu me preparei bem, mas a situação nem sempre sai como você planeja. O mais importante nesses momentos é esfriar a cabeça o mais rápido possível. A tristeza existe por tudo que aconteceu, principalmente, na semifinal, mas é passado. Os campeões olham para frente", ensinou, sem saber para onde virar seus olhos agora.


Whatsapp PortalPE10 9 9974-3875 - Canal direto com nossa redação - Envie sua solicitação que uma equipe nossa irá atender você
Tags: Esporte,Copa 2014
COMENTÁRIOS
Os comentários postados abaixo representam a opinião do leitor e não necessariamente a do PortalPE10.
A responsabilidade é do autor da mensagem.
2020 © Copyright. Todos os Direitos Reservados