Palmares
Publicada em 08 de março de 2019 às 10:36:20. Atualizada em 08 de março de 2019 às 19:31:47.
Decisão judicial inflamou ainda mais o embate político em Palmares
O gestor foi afastado no dia 27 de fevereiro após decisão dos legisladores, que pediam seu impeachment
Por: Marcos André | Fonte: OP9



Uma decisão judicial inflamou ainda mais o embate político em Palmares, na Mata Sul de Pernambuco. O juiz da terceira Vara Cível da cidade, Flávio Krok Franco, concedeu uma liminar determinando que o prefeito do município, Altair Júnior (MDB), retorne imediatamente ao cargo. 

O gestor foi afastado no dia 27 de fevereiro após decisão dos legisladores, que pediam seu impeachment. Nesta quinta-feira (7), ele trabalhou normalmente. Por sua vez, os vereadores adiantaram que vão se reunir novamente para decidir o que será feito agora.



No documento, o magistrado adiantou que “a fim de evitar dano irreparável, concedo a medida liminar pleiteada determinando a suspensão dos efeitos do Decreto Legislativo Decreto Legislativo nº 001/2019 da Câmara Legislativa do Município de Palmares”. 



O mandado de segurança foi impetrado pelo prefeito contra o ato do presidente da Câmara dos Vereadores, Saulo Acioli para declarar a nulidade do afastamento.

Em reunião realizada no dia 26 de fevereiro de 2019, após a aprovação do relatório da CPI dos Consignados, foi recebida a denúncia e, por decisão da maioria absoluta, os vereadores decidiram suspender o mandato do prefeito. Um vereador se absteve da votação.

O processo de impeachment foi instaurado no dia 27 de fevereiro. Segundo os legisladores, Altair teria ignorado pedidos dos parlamentares para apresentação de documentos na CPI instaurada em outubro do ano passado. 

Enquanto o pedido não foi concluído, o gestor foi afastado das funções. Os legisladores apuram supostas irregularidades no pagamento de empréstimos consignados da prefeitura. Além disso, o prefeito teria usado recursos para pagamento de fornecedores sem priorizar o pagamento a servidores públicos. Em sua defesa, Altair disse que foi vítima de um “Maracutaia” que teria sido planejada pelo vice-prefeito da cidade, Agenaldo Lessa (PPS) junto com alguns vereadores em troca de cargos e secretárias de governo.

Tags: Palmares,Mata Sul,
COMENTÁRIOS
Os comentários postados abaixo representam a opinião do leitor e não necessariamente a do PortalPE10.
A responsabilidade é do autor da mensagem.
2019 © Copyright. Todos os Direitos Reservados