Ataque
Publicada em 16 de abril de 2018 às 13:44:34. Atualizada em 16 de abril de 2018 às 13:44:34.
Banhista mordido por tubarão tem cinco filhas; mãe dele precisa de ajuda
Técnica de laboratório aposentada Darlene Melo veio imediatamente a Pernambuco depois de ser informada pelo hospital.
Por: Redação PortalPE10 | | Fonte: G1


Foto: Arthur Mota/Folha de Pernambuco

O banhista mordido por um tubarão na tarde do último domingo (15) na praia de Piedade, em Jaboatão dos Guararapes, na Região Metropolitana do Recife (RMR), sabia dos perigos de entrar na água naquele local. A afirmação foi feita pela mãe dele, a técnica de laboratório aposentada Darlene Melo.

Em entrevista concedida nesta segunda-feira (16) no Hospital da Restauração (HR), onde o potiguar Pablo Diego Inácio de Lima está internado, ela disse que não sabe o que levou o filho a mergulhar mesmo sabendo do perigo no local. "Ele mesmo disse que as praias daqui eram muito perigosas, principalmente em Jaboatão, onde tem as placas de sinalização. É muito afoito. Mesmo sabendo disso, ainda arriscou", lembrou Darlene. 



Abalada, Darlene afirmou que está sendo muito difícil lidar com o incidente com o filho e pediu ajuda para permanecer no Recife, onde, além de ter pouco dinheiro, não tem parentes, amigos ou conhecidos. Ela veio imediatamente a Pernambuco depois de ser informada pelo hospital do incidente, com apenas R$ 35 no bolso.

"Foi o dinheiro que a minha sobrinha me deu. Estão arrecadando dinheiro para ver se conseguem colocar na minha conta para ajudar", disse Darlene, que acrescentou não saber até quando vai ficar na capital do Estado. "Enquanto meu filho não estiver bem não poderei sair daqui", finalizou. O número da conta disponibilizado para ajudar Darlene é o 1373-0 da agência 2874-6 do Banco do Brasil. O telefone para contato é o (84) 9.8889.5228. 

Foto: Reprodução

   Banhista chama pela mãe

O diretor geral do Hospital da Restauração, Miguel Arcanjo, afirmou que ele chama muito pela mãe. "Ele está acordado e chamou pela mãe, mas não é um quadro de lucidez", afirmou o médico.

A aposentada relatou que foi na Unidade de Terapia Intensiva (UTI), mas não viu o filho para evitar piora em seu quadro clínico. "Quando cheguei ele teve uma piora e poderia ser entubado novamente por ficar emocionado. Até agora os médicos me falaram apenas que a vida não vai ser como era antes", afirmou.

Pablo estava no Recife há cerca de dois meses e sobrevivia vendendo bombons, água e pipoca nas ruas e em ônibus. Ele havia passado seis meses no Recife, depois voltou para Natal e regressou à capital pernambucana há cerca de dois meses em busca de trabalho. "A última vez que falei com ele foi há uns cinco dias. Ele me disse que estava bem", afirmou a mãe. O potiguar é casado e tem cinco filhas.

Tags: Acidente, Tubarão, Recife, Pernambuco
COMENTÁRIOS
Os comentários postados abaixo representam a opinião do leitor e não necessariamente a do PortalPE10.
A responsabilidade é do autor da mensagem.
2018 © Copyright. Todos os Direitos Reservados