Logo Agência O Globo
Brasil

Veja como ajudar os desabrigados das chuvas do litoral de São Paulo

Em | Da Redação com informações de Agência O Globo

Atualizado em

Veja como ajudar os desabrigados das chuvas do litoral de São Paulo
O Governo de São Paulo envia ajuda humaniitária para o município de São Sebastião; na foto, região de Topolândia, onde uma casa desabou – Daniela Andrade/PMSS

O temporal que atingiu o Litoral Norte de São Paulo neste domingo deixou ao menos 40 mortos, além de outros 40 desaparecidos e centenas de desalojados e desabrigados, o que aumentou a necessidade de doações. Entidades da sociedade civil, prefeituras e os governos estadual e federal têm articulado a arrecadação de alimentos e recursos para as vítimas.

A cidade mais afetada é São Sebastião, onde foram registradas a maior parte das mortes — pelo menos 39. O prefeito Felipe Augusto (PSDB) reitera a necessidade de doações para a região, principalmente de alimentos não perecíveis, água mineral e roupas limpas e em bom estado para uso.

— A situação do município ainda é crítica. Muitas pessoas perderam as suas casas e mesmo aqueles que conseguiram se salvar precisam de auxílio e mantimentos nas residências. Precisamos de toda ajuda possível — disse o prefeito ao GLOBO.

Desalojados em São Sebastião dependem dessa ajuda. A cozinheira Zuleide Alves, de 38 anos, conseguiu escapar do temporal com três de seus seis filhos e o marido. A caçula, Rhillary Vitória, nasceu no dia 12 de fevereiro. A casa da família desapareceu sob a lama.

O Governo de São Paulo envia ajuda humaniitária para o município de São Sebastião; na foto, região de Topolândia, onde uma casa desabou – Daniela Andrade/PMSS

A comoção com a tragédia também levou a uma onda de solidariedade e mobilização na sociedade civil. Na tentativa de ajudar a atenuar os efeitos dos temporais, o chef Eudes Assis, disse que “nunca viu nada parecido” e que iria fechar o Taioba, seu restaurante em São Sebastião, pelos próximos três dias, para preparar “marmitas para as pessoas que estão desabrigadas e que não têm o que comer”.

Até agora, quem está centralizando as principais doações é o Fundo Social do governo do estado de São Paulo, que disponibilizou duas contas bancárias para auxílio às vítimas e que já são utilizadas regularmente para ações anuais do Alimento Solidário e da Campanha do Agasalho. Os donativos podem ser enviados ou feitos em qualquer quantia por meio de depósito, transferência ou PIX (CNPJ 44.111.698-0001/98 ou no [email protected]). As entregas de doações presenciais devem ser feitas no depósito do fundo, localizado na avenida Marechal Mario Guedes, 301, no Jaguaré, zona oeste da capital paulista.

São Sebastião contabiliza 39 das 40 mortes no litoral norte de SP

Em postagem nas redes sociais, a Embratur recomendou algumas instituições confiáveis que também auxiliam os entes públicos na arrecadação de donativos para a região.

O Instituto Verdescola, por exemplo, arrecada produtos de higiene pessoal e alimentos não perecíveis. Os itens podem ser entregues presencialmente na sede do Instituto Verdescola (avenida Marginal, 44 – Praia Barra do Sahy, São Sebastião). Há ainda a opção de doar via Pix ([email protected]).

Já a ONG Gerando Falcões anunciou a campanha “Tamojunto” e acrescentará R$ 1 a cada R$ 1 doado, com limite de até R$ 1 milhão. Doações podem ser feitas via Pix, por meio do CNPJ 18.463.148/0001-28.

Em São Sebastião, o Fundo Social arrecada roupas, calçados, alimentos não perecíveis, fraldas, roupas de cama e banho, produtos de higiene e limpeza, eletrodomésticos e camas. Fica na Rua Capitão Luiz Soares, 33, no Centro. O recebimento das doações será realizado a partir desta segunda-feira, entre 12h e 17h e nos outros dias entre 8h e 17h. Após a arrecadação , as doações serão encaminhadas, pela Defesa Civil, às cidades atingidas.

Deixe sua opinião

Advertisements
20 - Banner Threads