Logo G1
Pernambuco

Secretaria de Saúde confirma os dois primeiros casos de Febre do Oropouche na cidade de Rio Formoso,PE

Pacientes são um homem de 35 anos e uma mulher, de 45, do município de Rio Formoso, na Zona da Mata Sul do estado.

Em | Da Redação com informações de G1

Atualizado em

Secretaria de Saúde confirma os dois primeiros casos de Febre do Oropouche na cidade de Rio Formoso,PE
Mosquito maruim transmissor da febre Oropouche —

Para chegar ao diagnóstico, o Laboratório Central de Pernambuco (Lacen) analisou amostras coletadas de 10% do total de pessoas que estavam com sintomas de arboviroses e testaram negativo para infecções como dengue, zika e chikungunya. Os kits de testagem foram distribuídos pelo Ministério da Saúde.

A SES informou que vai enviar, nesta quinta-feira (23), equipes de Vigilância Ambiental e Vigilância em Saúde a Rio Formoso para dar continuidade à investigação dos casos e adotar medidas de controle de mosquitos.

A secretaria disse ainda que, para evitar a doença, recomenda que a população siga as seguintes ações de prevenção:

  • Evitar áreas onde há muitos mosquitos;
  • Usar roupas que cubram a maior parte do corpo;
  • Aplicar repelente nas partes mais expostas da pele;
  • Manter a casa e o entorno limpos.

A secretaria informou também que, em geral, as pessoas infectadas não apresentam gravidade no quadro e que, após o atendimento ambulatorial, o indicativo é ficar em isolamento durante o período de sintomas e observar se há alguma alteração na sintomatologia.

O que é a Febre do Oropouche

 

  • Causada pelo vírus Orthobunyavirus oropoucheense, a Febre do Oropouche é uma arbovirose — termo usado para se referir a doenças transmitidas por mosquitos;
  • O vírus é mantido no sangue desses insetos depois que eles picam uma pessoa ou outro animal infectado, que acaba sendo o vetor da doença;
  • Os sintomas são semelhantes aos da dengue e da chikungunya, como dores de cabeça, nos músculos e nas articulações, náusea e diarreia, além de febre;
  • A doença é endêmica em áreas florestais no Norte do país, mas, no início do ano, o número de casos começou a crescer naquela região;
  • Em fevereiro, foi registrado o primeiro caso da doença no Rio de Janeiro, num homem de 42 anos que tinha voltado de uma viagem ao Amazonas;
  • Segundo especialistas, a infecção tem dois ciclos de transmissão;
  • No ciclo silvestre, a doença é transmitida pelo mosquito Culicoides paraensis (conhecido como maruim), enquanto no ciclo urbano, o transmissor é o mosquito Culex quinquefasciatus, chamado de muriçoca ou pernilongo.

Deixe sua opinião

Advertisements
20 - Banner Threads