Logo Estadão
Entretenimento

‘Se nem Jesus agradou todo mundo, por que eu, um veado de peruca, vou agradar?’, diz Pabllo Vittar

Em | Da Redação com informações de Estadão

Atualizado em

‘Se nem Jesus agradou todo mundo, por que eu, um veado de peruca, vou agradar?’, diz Pabllo Vittar
Pabllo Vittar sobre aceitação: “Se nem Jesus agradou [todo mundo], mona, por que eu?’

“Se nem Jesus, mona, agradou todo mundo, por que eu, Pabllo Vittar, um veado de peruca, vou agradar?” Foi com essa tranquilidade que a cantora falou ao podcast g1 ouviu, ao vivo, nesta terça-feira (14).

Pabllo Vittar explicou a criação do novo álbum, “Noitada”, sobre o carnaval, o apoio a Lula nas eleições, a terapia nos momentos difíceis da pandemia e o preconceito.

Pabllo Vittar começou a entrevista falando de “Noitada”, o quinto disco da carreira. “Este álbum tem um storytelling da balada até o after, ou às vezes até quero só ir para casa para dormir. Eu fiz muito laboratório pelo Brasil, indo em baladas, para ver o que está acontecendo nas pistas, em festas LGBTQIA+. A maioria das histórias aconteceu comigo”, explica ela, rindo.

O processo criativo do álbum foi em um sítio no interior de São Paulo, que pertencia ao cantor Belchior (1946-2017). As composições começaram com uma vibe mais triste e renderam músicas que não foram lançadas ainda. “É muito bom ter noção do que a gente está sentindo e poder falar sobre o que estamos sentindo”, contou a cantora.

Deixe sua opinião

Advertisements
20 - Banner Threads