Logo Agência O Globo
Brasil

Saiba quem é o ‘sniper do tráfico’ que matou policial a 50 metros de distância

Em | Da Redação com informações de Agência O Globo

Atualizado em

Saiba quem é o ‘sniper do tráfico’ que matou policial a 50 metros de distância
Conhecido como Davizinho, Erickson David da Silva, de 28 anos, foi preso neste domingo

 

Um homem de 28 anos é apontado pelas autoridades como o responsável por ter disparado o tiro que matou o policial Patrick Bastos Reis, das Rondas Ostensivas Tobias Aguiar (Rota), na última quinta-feira em Guarujá, no litoral paulista. Conhecido como Davizinho, Erickson David da Silva foi preso neste domingo em São Paulo.

A informação foi confirmada pelo governador Tarcísio de Freitas (Republicanos). Nas redes sociais, ele disse que o suspeito foi “capturado na Zona Sul de São Paulo”, e acrescentou que outros três envolvidos já estão presos. “A justiça será feita. Nenhum ataque aos nossos policiais ficará impune”, declarou ele.

PM do Rota morto era da capital de SP e estava em serviço quando foi atingido por criminosos — Foto: Arquivo Pessoal

De acordo com a polícia, Erickson David tem 28 anos, é solteiro e foi o “sniper” utilizado pelos traficantes. O tiro que matou o PM teria sido disparado por ele a mais de 50 metros de distância, segundo o secretário estadual de Segurança Pública (SSP), Guilherme Derrite. O projétil calibre 9 mm atingiu o ombro do oficial.

— Importante dizer que foi um projétil disparado por 50 e até 70 metros de distância. Disparado por um projétil calibre 9 mm. Provavelmente o mesmo disparo que acertou um policial. Entrou no ombro do soldado Reis e o levou a óbito — disse o secretário Guilherme Derrite.

Ainda segundo informações preliminares, o atirador possui cabelos e olhos castanhos escuros e pele parda. Na última sexta-feira, Derrite também afirmou que as autoridades haviam identificado quatro suspeitos de envolvimento na morte de Patrick. O secretário disse que dois deles foram presos e um morreu durante confronto com a polícia.

O ponto de onde foi efetuado o disparo que matou o PM foi identificado pela inteligência da polícia a partir da nota fiscal de uma lanchonete que estava com um dos suspeitos. Investigadores prenderam uma mulher que, segundo o secretário, tinha uma “função logística” e fazia coisas como a compra de alimento e bebida “para esses criminosos”.

Em nota, a SSP informou que “desde sexta-feira, mais de dez pessoas foram presas em flagrante tráfico de drogas, e dezenas de quilos de entorpecentes foram apreendidos”. Segundo a pasta, desde sexta-feira também foram registradas três mortes em decorrência da intervenção policial em Guarujá, onde moradores temem uma onda de violência.

Deixe sua opinião

Advertisements
20 - Banner Threads