Logo G1
Brasil

Polícia apura falas de pastor da igreja Lagoinha que disse em culto que já beijou a filha na boca

O pastor Lucinho Barreto afirmou que beijou a filha na boca para que o namorado da jovem não fosse o primeiro. Caso é acompanhado pela Delegacia de Proteção à Criança e ao Adolescente.

Em | Da Redação com informações de G1

Atualizado em

Polícia apura falas de pastor da igreja Lagoinha que disse em culto que já beijou a filha na boca
Pastor Lucinho Barreto, da Igreja Batista da Lagoinha

A Polícia Civil de Minas Gerais informou, na manhã desta sexta-feira (3), que a Delegacia Especializada em Proteção à Criança e ao Adolescente, em Belo Horizonte, está investigando as falas do pastor Lúcio Barreto Júnior, de 52 anos, conhecido como Lucinho Barreto. Ele é membro da Igreja Batista de Lagoinha.

Um vídeo que viralizou na quinta-feira (2), mostra o pastor revelando ter beijado sua filha na boca quando ela estava “distraída”.

“Eu peguei minha filha um dia, dei beijo nela, falei que amava ela. Ela passava e eu dizia: Nossa, que mulherão. Ai se eu te pego. Um dia ela distraiu e eu dei um beijo na boca dela. E eu falei assim: Quando eu encontrar seu namorado eu vou falar: Você é o segundo, eu já beijei”, disse o pastor durante o culto. O público chega a dar risada da fala.

O trecho do vídeo foi retirado de um culto ministrado pelo religioso e disponibilizado no dia 15 de abril, no canal do YouTube da igreja.

Emily, filha do pastor, usou as redes sociais para defender o pai, afirmando não ter havido abuso e que o beijo não foi de língua.

Nesta sexta (3), após a repercussão do vídeo, o pastor gravou um vídeo dentro do banheiro de um avião e publicou nas redes sociais. Na filmagem, ele diz ter dado um beijo “inocente e puro” com o objetivo de levantar a autoestima da filha.

“Odeio tudo que tem a ver com pedofilia e abuso infantil”, disse o pastor nas redes.

Pastor Lucinho Barreto, da Igreja Batista da Lagoinha

A filha do pastor Lucinho Barreto saiu em defesa do pai após ele aparecer em um vídeo, durante um culto, dizendo que a havia beijado na boca. Em vídeo publicado nas redes sociais, na quinta-feira (2), Emily Barreto Bichara negou qualquer tipo de abuso e afirmou que o líder religioso sempre foi um exemplo.

“Cortaram e fizeram loucuras com o trecho”, explica Emily sobre o vídeo em que o pai dá exemplo de como uma filha deve ser criada. “Meu pai nunca me beijou de língua, nunca fez nada comigo”, garante. “No máximo selinho de pai, mãe.”

Emily diz que a situação toda é um “absurdo”, que “tiraram a fala totalmente do contexto” e que ela não estava sendo coagida a nada. Defende o pai diversas vezes e afirma que “tinha espaço, tinha liberdade com ele”.

 

Deixe sua opinião

Advertisements
20 - Banner Threads