Pernambuco

PM suspeito de matar MC de brega funk e técnica em enfermagem é encontrado morto com tiro na cabeça dentro de carro

O cantor Serginho Porradão tentava apartar briga entre o policial Rodrigo José Fortunato da Silva e a namorada, Manuela Tenório da Silva, em festa de Dia dos Pais no Recife.

Em | Da Redação

Atualizado em

PM suspeito de matar MC de brega funk e técnica em enfermagem é encontrado morto com tiro na cabeça dentro de carro
Homem encontrado morto em carro, no Alto do Mandú, no Recife. — Foto: Reprodução/WhatsApp

O cabo da Polícia Militar Rodrigo José Fortunato da Silva, investigado pela morte do MC de brega funk Serginho Porradão e da técnica de enfermagem Manuela Tenório, foi encontrado morto dentro de um carro no Alto do Mandú, na Zona Norte do Recife . O delegado e o perito do caso confirmaram a identidade dele à TV Globo.

Marca de bala no vidro de um carro em que um homem foi encontrado morto no Alto do Mandú, no Recife. — Foto: Reprodução/WhatsApp

Segundo a perícia, o homem foi encontrado com um ferimento de tiro na cabeça. A bala entrou pela têmpora direita e saiu pelo lado esquerdo da cabeça do PM. Uma pistola foi encontrada no colo do policial. A Polícia Civil investiga se a morte dele foi suicídio.

Relembre o caso
Sergio Murilo Gonçalves Filho, conhecido como MC Serginho Porradão, e Manuela Tenório da Silva foram mortos em 13 de agosto, numa confusão na Praça da Bíblia, na comunidade Bola na Rede;

O PM era namorado da técnica de enfermagem. Segundo a irmã de Manuela, Rodrigo era ciumento e não gostava que ela tivesse amizade com outros homens;

MC Serginho Porradão e Manuela Tenório foram mortos a tiros — Foto: Reprodução/WhatsApp

O MC de brega funk havia apresentado o PM à técnica de enfermagem. Os dois homens eram amigos de infância;
Segundo testemunhas, o cantor foi baleado ao tentar apartar uma briga entre o cabo e a mulher por crise de ciúmes;

O MC foi levado à Unidade de Pronto-Atendimento (UPA) de Jardim Paulista, em Paulista, e, depois, para o Hospital da Restauração, no Derby, no Recife, mas morreu na segunda (14);

O PM se apresentou à polícia em 15 de agosto e prestou depoimento por duas horas, mas foi liberado, pois não havia mandado de prisão contra ele e não era possível autuá-lo em flagrante;

Lotado no 6º Batalhão, em Jaboatão dos Guararapes, no Grande Recife, o PM estava afastado da corporação por licença médica. O motivo da licença não foi divulgado pela polícia.

Deixe sua opinião

Advertisements
20 - Banner Threads