Brasil

Pit bull é uma ameaça? Estudo aponta qual raça tem mais casos de ataques e resultado impressiona

Pit bull é uma ameaça? Estudo aponta qual raça tem mais casos de ataques e resultado impressiona

Em | Da Redação

Atualizado em

Pit bull é uma ameaça? Estudo aponta qual raça tem mais casos de ataques e resultado impressiona
Pit bull é uma ameaça? Estudo aponta qual raça tem mais casos de ataques e resultado impressiona

Os cachorros pit bulls carregam consigo alguns estigmas, que muita gente considera injustos. O porte atlético dessa raça chama muita atenção e as vezes faz com que algumas pessoas tirem conclusões preciptadas sobre o pet. O pit bull tende a ser bastante ativo e tem muita força, mas ele é um animal dócil e tende a gostar de crianças. Não é a toa que, antigamente, era conhecido como cachorro-babá.

O comportamento dessa raça, porém, está mais associado à sua criação. Se o pet foi criado em um lar amoroso, ele tenderá a ser um cãozinho bastante amável. A socialização feita da maneira correta também é importante para que não haja nenhum problema posterior.

A raça, contudo,  está, frequentemente, atrelada à agressividade, porém, um estudo realizado pela Secretaria Municipal de Saúde de São Paulo, publicado no Arquivo Brasileiro de Medicina Veterinária e Zootecnia afirmou que as coisas não são bem assim.

Na pesquisa, o pit bull não aparece no topo da lista dos cães que provocam acidentes em humanos. O cachorro vira-lara, ou sem raça definida (SRD) aparece em primeiro lugar da lista, com 48,4%. A raça poodle surge, em seguida, com 7,4%. Em terceiro lugar aparece o pit bull, com 5,9% e, na quarta posição, o pastor alemão, com 5,7%.

levantamento ainda apontou que 57,6% dos casos de agressões acontecem dentro de casa e 56,2% com pessoas da própria família ou conhecidas. Em 80,4% dos ataques geraram lesões leves e a maioria das vítimas foram crianças e adolescentes, entre 5 e 14 anos.

As lesões profundas correspondem a 19,1% e, normalmente, envolveram cães dede porte médio e grande.

A geneticista e especislista em comportamento canino, Camili Chamone, atribuiu a “má fama” dos pit bulls a uma “americanização”, já que as coisas nos Estados Unidos são bem diferentes. Lá, segundo uma pesquisa divulgada no site de educação pública, DogsBite, essa raça é responsável por 72% dos ataques fatais a humanos.

O estudo aponto que, entre 2005 e 2020, 568 estadunidenses foram vítimas fatais de cães, sendo que pit bulls (380) e rottweilers (51) foram responsáveis por 76% (431) dessas mortes.

“A maior parte dos acidentes fatais foi causada por Pitbulls, mas a relevância estatística de cães abandonados ou considerados SRD é pequena: totalmente diferente da realidade brasileira. Existe, portanto, uma ‘americanização’ das notícias quando os acidentes são causados por Pitbull no Brasil. Quando provocados por cães SRD (algo muito mais comum), são raramente divulgados”, disse Chamone ao Canal do Pet.

Para ela, a análise mostra que é errado afirmar que pit bull é a raça que mais mata no Brasil. Além disso, ela afirmou que “nenhum cachorro nasce agressivo e, independentemente de ser um Pitbull ou não, ele pode se tornar agressivo, se o ambiente onde ele vive propicia condições para que a agressividade se desenvolva”.

Deixe sua opinião

Advertisements
20 - Banner Threads