Brasil

Pandemia e corrupção pautam primeiro debate entre Lula e Bolsonaro neste segundo turno

Em | Da Redação

Atualizado em

Pandemia e corrupção pautam primeiro debate entre Lula e Bolsonaro neste segundo turno

Com alta dos preços do bilhete aéreo, passageiros migram do avião para o ônibus

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) e o presidente Jair Bolsonaro (PL) lançaram mão do arsenal de acusações mútuas e chamaram um ao outro de mentiroso no primeiro debate do segundo turno das eleições, promovido por Folha, UOL, TV Bandeirantes e TV Cultura, neste domingo (16).

Lula reforçou mensagens para atacar incompetência do rival e má gestão na pandemia de Covid-19 e na economia, enquanto Bolsonaro insistiu na estratégia de vincular o petista à corrupção. O ex-presidente repetiu críticas à Operação Lava Jato, que o levou à prisão —suas condenações foram depois anuladas.

Apesar das falas duras, o clima foi no geral moderado, com ambos mantendo o tom de voz baixo, esboçando sorrisos irônicos e se movimentando em direção às câmeras para conversar com os eleitores.

A estratégia detonada pelo PT horas antes do debate de vincular Bolsonaro a pedofilia, após a fala de que “pintou um clima” com “menininhas de 14 e 15 anos”, foi diluída no debate, depois que o TSE (Tribunal Superior Eleitoral) impediu a candidatura de continuar fazendo a associação.

Bolsonaro afirmou que Lula e aliados são “especialistas em pegar vídeos” e cortar trechos para atacá-lo, em referência indireta ao caso da fala usada no fim de semana contra o presidente. O petista riu e rebateu, dizendo que é o lado do presidente que adota essa linha e distribui fake news.

Lula também aludiu ao episódio ao lembrar que o rival fez uma live na madrugada deste domingo para se explicar sobre a fala. Foi Bolsonaro quem levou o assunto explicitamente ao palco, para acusar a campanha petista de mentir. Ele chegou a ler trechos da decisão do presidente do TSE, Alexandre de Moraes, com quem antagoniza.

A decisão fala em “conteúdo sabidamente inverídico”. O presidente afirmou que Lula tenta atingi-lo “no que eu tenho mais de sagrado, defesa das famílias e das crianças”. O petista usou no terno um broche da campanha Faça Bonito, de combate à violência sexual contra crianças e adolescentes. Leia a matéria completa no site- link na bio.

Deixe sua opinião

Advertisements
20 - Banner Threads