Pernambuco

Paciente sedada é estuprada dentro de clínica por vigilante em Pernambuco

Imagens de circuito interno mostram momento em que a mulher sofre estupro; suspeito é o vigilante da unidade

Em | Da Redação

Atualizado em

Paciente sedada é estuprada dentro de clínica por vigilante em Pernambuco
Família denunciou que paciente de clínica psiquiátrica foi estuprada por segurança — Foto: Reprodução/WhatsApp

Uma mulher de 30 anos, bacharel em Direito, teria sofrido estupro enquanto estava sedada. no Hospital Reluzir, no bairro de Aldeia, em Camaragibe, na Região Metropolitana do Recife.

Ela estava internada no local para tratar de um quadro de depressão.

Imagens de circuito interno da unidade hospitalar mostram o momento em que o vigilante, fardado e com colete, tem acesso à paciente.

O caso de estupro aconteceu em 17 de novembro de 2023, às 4h26.

A mulher teria tomado medicações fortes e já estava adormecendo, quando o homem, de 46 anos, que não foi identificado, se aproxima dela, que já estava sedada.

Ele começa a mexer em diferentes partes do corpo da vítima e, após isso, deixa o local.

O vigilante trabalhou na unidade hospitalar por dois meses.

Segundo a advogada Maria Eduarda Albuquerque, que representa a família da paciente, a mulher tem 30 anos e estava internada na clínica particular para se tratar de uma crise de depressão.

“Encaminharam ela para uma ala masculina, porque houve uma admissão e a pessoa que entrou estava muito exaltada. Colocaram nessa outra ala para ela dormir. E o segurança cometeu o crime. Isso foi de uma quinta para sexta e ela ficou desesperada. Tinha tomado medicação, mas estava acordada quando aconteceu”, contou a advogada

Família denunciou que paciente de clínica psiquiátrica foi estuprada por segurança — Foto: Reprodução/WhatsApp

As imagens foram gravadas às 4h26. Nelas, é possível ver o vigilante vestido com farda e colete mexendo na paciente, que estava sozinha na sala, deitada numa cama. Depois de passar a mão em diferentes partes do corpo da vítima, o segurança deixou o local.

De acordo com Maria Eduarda Albuquerque, a mulher relatou que fechou os olhos e “queria que aquilo acabasse”. Ela disse também que, depois dos abusos, a paciente continuou sozinha na sala e a família só foi avisada horas depois do crime para comparecer à clínica na manhã do dia seguinte.

“Além de ter sido estuprada, ela ficou sozinha lá, pedindo pela família, sem conseguir dormir, com medo de esse homem voltar a qualquer momento. E só foi avisado isso na sexta-feira à noite, para dizer que fosse lá no sábado de manhã. É uma série de atrocidades nesse caso”, disse Maria Eduarda Albuquerque.

A Polícia Civil de Pernambuco informou que o inquérito policial foi finalizado e encaminhado ao Ministério Público de Pernambuco, no início de junho, o indiciamento do homem por estupro de vulnerável.

Ainda de acordo com informações da PCPE, um técnico de enfermagem que teria visto toda a cena de estupro, mas não tentou intervir para evitar o crime, também foi indiciado por omissão de socorro.

Deixe sua opinião