Política

Mourão se declara branco ao TSE quatro anos após se declarar indígena

Em | Da Redação

Atualizado em

Mourão se declara branco ao TSE quatro anos após se declarar indígena
Foto: Reprodução Internet

BRASÍLIA, DF (FOLHAPRESS) – O vice-presidente Hamilton Mourão (Republicanos) registrou sua candidatura no TSE (Tribunal Superior Eleitoral) nesta terça-feira (9), e se autodeclarou como branco, diferentemente do que fez em 2018, quando informou ser indígena.

Preterido pelo presidente Jair Bolsonaro (PL), que indicou o general Braga Netto para ser seu vice, Mourão decidiu disputar a vaga de senador pelo Rio Grande do Sul.

Antes filiado no PRTB de Levy Fidelix, o vice-presidente migrou para o Republicanos em março e será candidato na chapa em que o deputado Onyx Lorenzoni (PL-RS) concorrerá ao governo estadual.

Há quatro anos, Mourão se chamou de “cacique Mourão” e disse que seu pai era amazonense e sua avó “era cabocla de Humaitá”.
“Eu sou pardo? Eu sou negro? Eu sou asiático? Eram as opções que eu tinha, e a quinta opção era indígena”, disse o então candidato a vice na chapa de Bolsonaro.

Dias antes, em um evento em Caxias do Sul (RS), ele havia dito que o Brasil herdou a “indolência” dos indígenas e a “malandragem” dos africanos. Em seguida, negou que a declaração tinha sido preconceituosa, e disse que, inclusive, era descendente de indígenas.

“Temos uma herança cultural, uma herança que tem muita gente que gosta do privilégio (…) Essa herança do privilégio é uma herança ibérica. Temos uma certa herança da indolência, que vem da cultura indígena. Eu sou indígena. Meu pai é amazonense. E a malandragem (…) é oriunda do africano”, afirmou. “Então, esse é o nosso cadinho cultural. Infelizmente gostamos de mártires, líderes populistas e dos macunaímas”, disse.

A região Sul, onde Mourão concorrerá neste ano, é uma das mais brancas do país.

Mas uma pesquisa divulgada no mês passado pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) mostra que, em uma década, a população brasileira teve aumento na participação de pessoas autodeclaradas pretas e pardas. Enquanto isso, a proporção de brancos diminuiu.

O registro do nome de urna de Mourão neste ano também não conta com o “general” em seu nome, diferentemente de quando disputou a vice-presidência da República.

O candidato a senador declarou ainda bens no valor de R$ 1.145.761,85 -duas aplicações em renda fixa (R$ 660.870,52 e R$ 219.891,33), veículo automotor (R$ 61.000) e um apartamento (R$ 204.000).

Há quatro anos, o general da reserva declarou à justiça eleitoral bens no valor de R$ 414.470,04.

Da redação do PortalPE10, com informações do Noticias ao Minuto.

Deixe sua opinião

Advertisements
20 - Banner Threads