Brasil

‘Me estuprava por prazer’, diz mulher que divulgou agressões do ex na internet

Em | Da Redação

Atualizado em

‘Me estuprava por prazer’, diz mulher que divulgou agressões do ex na internet

Uma mulher chocou a internet ao divulgar cenas de agressões sofridas pelo próprio marido. Juliana Rizzo, de 34 anos, compartilhou vídeos e imagens que comprovavam que ela sofria violência doméstica. A atitude da vítima foi uma tentativa de cobrar Justiça pelo o que foi vivido.

De acordo com o site Universa, da UOl, o casamento de Juliana com Ricardo Penna Guerreiro, de 46 anos, acabou em 2021, após ela sofrer uma tentativa de estupro e flagrar o ex brigando com o filho mais velho dela, que é fruto de outro relacionamento.

Ao portal, a vítima contou que, no início do relacionamento, Ricardo parecia ser um homem decente e legal. “No começo ele era uma pessoa muito boa, não tinha problema nenhum, era divertido, a gente viajava, ele me apoiava em tudo, era uma pessoa realmente legal. Mas tudo isso era só para a conquista”, disse ela.

De acordo com Juliana, as agressões começaram quando ela estava grávida do primeiro filho de Ricardo. “Naquele dia, os amigos dele fizeram uma piada e eu sorri. Ele achou que eu estava rindo da piada, que era com ele, e aí começaram as agressões”, relatou.

Na época, a vítima conseguiu fugir para um apartamento que ainda estava alugado, onde se escondeu do agressor por uns dias. Porém, o ex-esposo descobriu onde ela morava e sequestrou seu filho mais velho, ameaçando só devolver caso eles conversassem.  “Ele falava isso rindo. Eu fui até lá, peguei meu filho, ele pediu desculpas, disse que iria melhorar e eu acabei dando uma segunda chance. Mas, com o tempo, só piorou”, explicou.

Juliana também revelou que, durante o casamento, o marido chegou a estuprá-la algumas vezes quando ela estava sob medicação. “Uma vez eu disse que queria fazer concurso para a Polícia Federal e ele me disse; ‘Você não vai. Você não vai ter arma porque você é louca'”, relatou.

Ela contou que teve depressão pós-parto e procurou ajuda psiquiátrica. Nessa época, ela passou a tomar remédios para dormir pesado. Foi nessa época que ele teria começado a violentá-la sexualmente. “Eu nunca deixei de comparecer como esposa, mesmo brigados, eu sempre acreditava na família, achava que com o tempo ia melhorar, sempre fazia de tudo para estar tudo bem. Mas, por prazer, ele começou a me estuprar”, disse Juliana.

Deixe sua opinião

Advertisements
20 - Banner Threads