Brasil

Mãe que matou bebê deu leite para cortar efeito do veneno e descongelava corpo todo dia

Primeiras informações da polícia indicam que mãe usou o veneno conhecido popularmente como "chumbinho" para tirar a vida da menina, de apenas 10 meses

Em | Da Redação

Atualizado em

Mãe que matou bebê deu leite para cortar efeito do veneno e descongelava corpo todo dia
Primeiras informações da polícia indicam que mãe usou o veneno conhecido popularmente como “chumbinho” para tirar a vida da menina, de apenas 10 meses

A mulher que matou a própria filha, uma bebê de 10 meses, com “chumbinho”, em Jaboatão dos Guararapes, na Região Metropolitana do Recife (RMR), afirmou à polícia ter dado leite para tentar cortar o efeito do veneno. Ela guardou o corpo da criança por um mês em um freezer.

Parentes ainda disseram que a mulher, de 27 anos, descongelava o corpo da menina todas as noites e chorava sobre o cadáver.

O relato da mãe foi dado em depoimento no Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), segundo informações da TV Guararapes. Ela passou a noite na unidade policial e foi levada, já na manhã desta quinta-feira (23), à audiência de custódia.

Na sessão, a mulher teve a prisão em flagrante convertida em preventiva e será encaminhada à Colônia Penal Feminina Bom Pastor, no bairro da Iputinga, na Zona Oeste do Recife. Ela responderá pelos crimes de homicídio qualificado e ocultação de cadáver.

A mulher teria cometido o crime há cerca de um mês, segundo as primeiras informações da polícia, e, durante todo esse tempo, manteve o corpo escondido em uma geladeira na própria casa, localizada na comunidade Dom Helder, no bairro de Candeias.

No depoimento, a mãe afirmou ter dado o veneno diretamente na boca da menina e entregou o leite logo depois por ter se arrependido. O efeito do “chumbinho”, no entanto, não foi cortado, e a menina morreu.

Na saída do DHPP, no começo da manhã desta quinta-feira, ela não respondeu às perguntas feitas pela imprensa.

O corpo da criança foi encaminhado para perícias no Instituto de Medicina Legal (IML), no bairro de Santo Amaro, área central da Capital pernambucana, de onde será liberado para o enterro.

Em fala à TV Guararapes, a mãe da mulher e avó da criança afirmou que, durante a madrugada da quarta-feira (22), a suspeita foi à casa dela chorando muito e entregou um vidro com “chumbinho” dizendo que havia matado a menina. A mulher também pensava em matar o outro filho, de 7 anos, e tirar a própria vida.

Deixe sua opinião

Advertisements
20 - Banner Threads