Logo Folha de São Paulo
Brasil

Dos 441 em situação de calamidade, somente 69 cidades gaúchas solicitaram ao governo federal recursos emergencias ,diz ministério

Somente 69 cidades gaúchas solicitaram ao governo federal recursos, diz ministro

Em | Da Redação com informações de Folha de São Paulo

Atualizado em

Dos 441 em situação de calamidade, somente 69 cidades gaúchas solicitaram ao governo federal recursos emergencias ,diz ministério
Mulher é resgatada em Porto Alegre por conta de enchentes das cheias do Guaíba — Foto: Diego Vara/Reuters

O ministro da Integração e do Desenvolvimento Regional, Waldez Góes, afirmou que ainda é pequeno o número de municípios gaúchos que buscou recursos emergenciais federais para cuidar das pessoas afetadas pelas chuvas e enchentes no Rio Grande do Sul. Duranre coletiva de imprensa, o ministro apresentou números que incluem também comunidades indígenas da região que foram atingidas pelas chuvas desde o fim de abril.

“Temos 441 municípios em situação de calamidade. Logicamente que, até que seja feito o refinamento dessa classificação, nós imaginávamos que pelo menos 300 solicitassem algum tipo de recurso, mas apenas 69 solicitaram. Aprovamos sumariamente e já liberamos recursos”, disse o ministro neste sábado (11), durante coletiva de imprensa no RS.

O governo federal flexibilizou, por meio de uma portaria, as regras para o recebimento de recursos pelos municípios afetados. “Sabemos que muitos prefeitos estão focados nas ações de resgate. Compreendemos isso, de forma a possibilitar que eles recebam a ajuda enquanto reúnem as informações para o plano de trabalho de ajuda humanitária”, disse Góes.

Um “simples ofício”, destacou o titular da Integração Nacional, enviado ao Ministério da Defesa Civil Nacional, anexado ao decreto do governo do estado, reconhecendo a calamidade, é suficiente para solicitar os recursos. “Se o município tem até 50 mil habitantes, a gente adianta logo R$ 200 mil. Se tem até 100 mil, adiantamos R$ 300 mil. Se tiver acima de 100 mil, a gente adianta R$ 500 mil para, rapidamente, comprarem água, cestas básicas; para cuidar das pessoas que estão no abrigo“, disse o ministro.

Deixe sua opinião

Advertisements
20 - Banner Threads