Entretenimento

Corregedoria da PM investiga conduta de policial que usa rede social para vender conteúdo sensual

Em | Da Redação

Atualizado em

Corregedoria da PM investiga conduta de policial que usa rede social para vender conteúdo sensual

Reprodução/Instagram

Uma policial militar que vende conteúdo sensual em suas redes sociais terá sua conduta avaliada pela corregedoria da PM. Yolanda Carolina Buarque, de 35 anos, anuncia pacotes de fotos, vídeos para seus mais de 20 mil seguidores no Instagram, onde se apresenta como Carolina Oliveira.

De acordo com a Secretaria de Estado de Polícia Militar, a Delegacia de Polícia Judiciária Militar (DPJM) instaurou um procedimento apuratório interno para averiguar a situação de Yolanda. A PM já foi ouvida pela 2ª DPJM.

Após a divulgação do caso, a policial usou suas redes sociais para comentar a investigação e se defender das acusações de que estaria produzindo conteúdo adulto. O processo foi instaurado após denúncias.

“Tem muita gente maldosa, mas estou aqui para explicar que eu nunca fiz nenhum vídeo pornográfico, não tenho nenhum tipo de foto pornográfica ou qualquer coisa que fere a Polícia Militar. A minha profissão é uma coisa e a minha vida particular é outra”, disse a PM em vídeo compartilhado nos stories.

A postagem foi seguida de diversas mensagens de seguidores que apoiam o trabalho da PM nas redes sociais. Nas postagens, Caroline Oliveira, nome que usa no Instagram, também compartilhou a definição dada pelo “Google” para conteúdo adulto. “Para quem não sabe”, escreveu a PM no storie.

O compartilhamento de fotos sensuais e vídeos da PM funcionaria por esquema de assinatura, com planos mensais e trimestrais. Nesse último, inclusive, o assinante concorreria a um café da manhã com a policial no final de cada mês.

Deixe sua opinião

Advertisements
20 - Banner Threads