Logo Folha de São Paulo
Brasil

Consumidor poderá fazer compras com crédito via Pix, diz Banco Central

O Pix, que é uma ferramenta de transferências instantâneas, permitirá realizar transações sem a necessidade do uso do cartão de crédito

Em | Da Redação com informações de Folha de São Paulo

Atualizado em

Consumidor poderá fazer compras com crédito via Pix, diz Banco Central
Foto: Reprodução/Agência BrasiL

O presidente do Banco Central, Roberto Campos Neto, informou nesta sexta-feira (11) que em breve os consumidores poderão realizar compras na função crédito através do sistema Pix. O Pix, que é uma ferramenta de transferências instantâneas, permitirá realizar transações sem a necessidade do uso do cartão de crédito.

Durante um evento promovido pela Associação Comercial do Paraná em Curitiba, Campos Neto afirmou: “Você vai juntar o Pix e outros produtos, lembrando que você vai poder começar a fazer crédito no Pix, então, em algum momento no futuro, você não precisará ter cartão de crédito, poderá fazer tudo no Pix.”

Além disso, o presidente do Banco Central também mencionou a introdução de um agregador financeiro, um aplicativo que visa reunir produtos e serviços bancários em um único ambiente. “No agregador financeiro, você não precisará mais ter um app para cada banco. Você poderá ter apenas um, que vai centralizar todos os produtos com portabilidade e competitividade em tempo real”, explicou.

Pela manhã, durante uma palestra a empresários paranaenses, Campos Neto havia destacado a intenção do Banco Central de oferecer mais opções aos consumidores no acesso a compras a crédito. Lançado pelo BC em 2020, o sistema Pix está passando por testes com outras funcionalidades, como transações agendadas e pagamentos recorrentes. Além disso, o Banco Central está avaliando a possibilidade de usar o Pix para transações internacionais.

No mesmo evento, pela manhã, Campos Neto também abordou a possibilidade de eliminar o sistema de rotativo do cartão de crédito, o que gerou algumas controvérsias. Ele esclareceu que a proposta ainda está em estudo e que está buscando um formato mais decisivo após discussões com o Ministério da Fazenda, instituições financeiras e associações de empresários. O ministro da Fazenda, Fernando Haddad, também havia mencionado que os juros do cartão de crédito rotativo serão gradualmente reduzidos, porém, permanecerão elevados até que se alcance um “sistema mais saudável” em consenso com os bancos.

Deixe sua opinião

Advertisements
20 - Banner Threads