Logo G1
Brasil

Buscas por detentos em fuga mobilizam mais de 300 agentes, helicópteros e drones

Equipes de operações especiais das policias federal e rodoviária federal também vão integrar buscas. Ministério da Justiça acredita que fugitivos não estão longe do presídio.

Em | Da Redação com informações de G1

Atualizado em

Buscas por detentos em fuga mobilizam mais de 300 agentes, helicópteros e drones
Buscas nas proximidades da penitenciária federal de Mossoró — Foto: Isaías Fernandes/TCM/Cedida

As buscas pelos dois fugitivos da Penitenciária Federal de Mossoró (RN) entram no terceiro dia nesta sexta-feira (16). Ao todo, mais de 300 agentes de segurança trabalham desde a quarta-feira (14) para recapturá-los.

  • 100 agentes da Polícia Federal;
  • 100 agentes da Polícia Rodoviária Federal;
  • 100 agentes das forças policiais locais (civil e militar);
  • 3 helicópteros (1 da PRF, 1 da PF e 1 da Secretaria de Segurança Pública do RN);
  • Drones (com equipamentos termais) e cães farejadores.

O Ministério da Justiça vai enviar reforços para ajudar na captura de dois presos que fugiram do presídio federal de segurança máxima de Mossoró (RN) na madrugada de quarta-feira (14). Serão integrantes da elite da Polícia Federal (PF) e das operações especiais da Polícia Rodoviária Federal (PRF), que chegam na manhã desta sexta-feira (16) na cidade.

Da PF, serão 25 integrantes do Comando de Operações Táticas (COT), unidade de elite da polícia. Da PRF são sete policiais do Grupo de Reposta Rápida (GRR), unidade de pronto emprego e operações especiais da corporação.

A força-tarefa de segurança que atua em Mossoró acredita que os dois fugitivos não conseguiram ir para muito longe e ainda podem estar escondidos na região das buscas, o que justifica o envio imediato dessas equipes para apoiar nas buscas.

Os presos fugitivos são: Rogério da Silva Mendonça, conhecido como Querubim, e Deibson Cabral Nascimento, o Tatu. Os nomes deles foram incluídos na lista da Interpol de procurados internacionalmente.

Os dois homens são ligados ao Comando Vermelho, facção de Fernandinho Beira-Mar – preso na mesma unidade – e foram transferidos para o presídio federal de Mossoró após se envolverem em uma rebelião no presídio de segurança máxima Antônio Amaro, em Rio Branco (AC).

Esta é a primeira fuga registrada na história do sistema penitenciário federal, que conta com cinco presídios de segurança máxima.

Deixe sua opinião

Advertisements
20 - Banner Threads