Brasil

Bolsa Família: mais 1 milhão de benefícios irregulares serão cortados até dezembro

Em | Da Redação

Atualizado em

Bolsa Família: mais 1 milhão de benefícios irregulares serão cortados até dezembro
Bolsa Família: governo inicia pagamento em 20 de março, com inclusão de 700 mil famílias

 

O Ministério do Desenvolvimento e Assistência Social informou ao g1 que prevê excluir até dezembro deste ano mais 1 milhão de beneficiários do Bolsa Família que vêm recebendo o pagamento de maneira irregular.

De acordo com o ministro Wellington Dias, ao todo, o governo encontrou indícios de irregularidades em 2,5 milhões de beneficiários e 1,4 milhão já foram excluídos da folha de março. O restante, cerca de 1 milhão, segundo o ministério, deverá ser excluído até dezembro

Pelos cálculos do Ministério do Desenvolvimento e Assistência Social, 20,9 milhões de famílias devem receber o Bolsa Família em março, a um custo estimado em R$ 14 bilhões.

Bolsa Família: governo inicia pagamento em 20 de março, com inclusão de 700 mil famílias

Na semana passada, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) assinou uma medida provisória (MP) a fim de reformular o Bolsa Família, modificando as regras do Auxílio Brasil.

No discurso de assinatura da MP, Lula cobrou a fiscalização contra fraudes no programa. Segundo o governo, há pessoas recebendo o Bolsa Família indevidamente por, por exemplo:

terem renda acima do permitido para concessão do benefício;
terem descumprido as regras sobre cadastro de famílias unipessoais.

Segundo o ministério, o governo federal contratará 12 mil pessoas para fazer a atualização do cadastro dos beneficiários do Bolsa Família.

O processo de atualização do cadastro se dará da seguinte maneira, segundo o governo:

as famílias serão chamadas aos Centros de Referência em Assistência Social (CRAS) a partir deste mês de março para atualizar os dados;
os beneficiários não precisam se dirigir aos CRAS antes de serem chamados e continuarão recebendo o benefício;
caberá ao CRAS a marcação de data e horário (em alguns casos, o funcionário poderá comparecer à residência do beneficiário para checar informações adicionais);
em caso de não comparecimento do beneficiário, o pagamento do Bolsa Família será bloqueado no prazo de até dois meses (começando em maio para os convocados em março);
em caso de comprovação de recebimento indevido, o cancelamento do benefício será automático;
pessoas com mais de 50 anos ou com deficiência terão prioridade de atendimento.
De acordo com Wellington Dias, as pessoas seguirão recebendo o Bolsa Família durante o processo de atualização e não precisam procurar os CRAS.

Deixe sua opinião

Advertisements
20 - Banner Threads