Brasil

Assédio na Caixa: Ministério Público Federal conclui investigação

Em | Da Redação

Atualizado em

Assédio na Caixa: Ministério Público Federal conclui investigação
(Foto:: ED ALVES/CB/D.A.Press)

O Ministério Público Federal concluiu a investigação aberta para apurar os casos de assédio envolvendo Pedro Guimarães, ex-presidente da Caixa Econômica Federal.

O resultado da investigação foi submetido há cerca de um mês à Justiça Federal, em um processo que corre sob o mais alto grau de sigilo.

Em razão do segredo imposto aos autos, não se sabe ainda que medidas o procurador responsável pelo caso, Igor Nery Figueiredo, pediu.

O MPF não confirma, nem extraoficialmente, se Guimarães foi alvo de uma acusação formal — caso tenha sido, o juiz avaliará a denúncia e decidirá, depois, se o ex-presidente da Caixa deve ou não ser condenado criminalmente.

A coluna apurou que os autos foram distribuídos para a 15ª Vara Criminal Federal do Distrito Federal.

A investigação do Ministério Público Federal foi aberta no curso da apuração de reportagens publicadas pela coluna, aqui no Metrópoles.

A primeira reportagem, de 28 de junho do ano passado, resultou na queda de Pedro Guimarães da presidência da Caixa. O trabalho revelou uma série de casos assédio moral e sexual praticados por ele contra funcionárias do banco.

Guimarães era um dos integrantes do governo de Jair Bolsonaro mais próximos do então presidente da República.

Como consequência de um processo aberto a partir das reportagens, o Ministério Público do Trabalho já havia pedido à Justiça trabalhista a condenação do ex-presidente do banco ao pagamento de multa de R$ 30,5 milhões por danos morais coletivos em razão dos casos de assédio.

Na mesma ação, o MPT pediu que a Caixa seja condenada a pagar R$ 305 milhões.

*As informações são do Metrópoles.

Deixe sua opinião

Advertisements
20 - Banner Threads