Logo G1
Brasil

Adolescente que matou familia precisa passar por exame de sanidade mental, diz delegado

Polícia aprendeu celulares e computador. Adolescente que cometeu crime foi encaminhado para Fundação Casa.

Em | Da Redação com informações de G1

Atualizado em

Adolescente que matou familia precisa passar por exame de sanidade mental, diz delegado
Isac Tavares Santos, de 57 anos, Solange Aparecida Gomes, de 50 anos, e Letícia Gomes Santos, de 16 anos, foram encontrados mortos no domingo (19).

O adolescente de 16 anos que confessou ter matado o pai, a mãe e a irmã dentro de casa, na Zona Oeste de São Paulo, relatou como cometeu os crimes contra a família com muita tranquilidade, o que chamou atenção da Polícia Civil.

Isac Tavares Santos, de 57 anos, Solange Aparecida Gomes, de 50 anos, e Letícia Gomes Santos, de 16 anos, foram encontrados mortos na residência depois que o adolescente ligou para a PM confessando o crime na noite do último domingo (19).

“O estado anímico dele, quando foi efetivamente entrevistado, num primeiro momento, ele estava tranquilo. Então, ele acabou confessando o que houve. O remorso é uma questão bastante difícil de a gente estabelecer aqui. É difícil a gente imaginar que você matou os pais e teve tranquilidade para poder falar sobre isso aí. É um caso que sempre choca”, afirmou o delegado Roberto Afonso, responsável pela investigação.

Ainda de acordo com o delegado, será necessário um exame para determinar a sanidade mental do adolescente.

“É preciso fazer um exame de rigidez mental? Sem dúvida. Para saber se o garoto estava em sã consciência porque nós também utilizamos o critério biológico para o menor de idade. Então, é um critério para política criminal. Leva-se em consideração o momento mental do adolescente, isso tudo tem que ser analisado, sem dúvida, com muita seriedade. O Ministério Público fará isso e vamos aguardar o laudo.”

E complementou: “A solicitação do exame de rigidez é um incidente que a polícia pode até provocar. Não tem a necessidade de esperar os três anos de internação dele na Fundação Casa. Pode-se fazer o quanto antes, para saber o que podemos estipular com relação à penalização ou não de um adolescente que sofre de alguma coisa”.

Adolescente que matou família diz não se arrepender e admite ter pensado no crime antes de cometê-lo: ‘Faria novamente’ — Foto: Reprodução/Redes sociais

Deixe sua opinião

Advertisements
20 - Banner Threads