Nos siga nas redes sociais

Pernambuco

No último dia: Justiça proíbe prefeito Geraldo Julio e agentes públicos de convocar funcionários para atos de campanha de João Campos

Juiz determinou aplicação de multa de R$ 100 mil, caso atos voltem a ser praticados.

Publicado

em

ás

A Justiça Eleitoral determinou que o prefeito Geraldo Julio (PSB) e outros agentes públicos se abstenham de convocar servidores municipais, inclusive terceirizados, para atos de campanha em favor de João Campos (PSB), que disputa com Marília Arraes (PT) o segundo turno à prefeitura. Uma multa de R$ 100 mil foi arbitrada aos investigados, caso a decisão seja descumprida.

A determinação foi proferida pelo juiz Sérgio Paulo Ribeiro da Silva, com base numa denúncia feita pela coligação de Marília Arraes, sobre abuso de poder econômico. Em nota, a prefeitura afirmou que “não existe qualquer tipo de pressão ou influência para a participação de servidores em qualquer ato relativo às eleições municipais”.

Na denúncia, a campanha da petista afirma que trabalhadores estariam sendo pressionados a votar em João Campos e que estariam sendo coagidos a trabalhar em prol da campanha do PSB.

Foi anexado à denúncia um vídeo em que um chefe do setor de terceirizados da prefeitura pede votos para o candidato, numa reunião realizada na terça-feira (24), na Bomba do Hemetério, na Zona Norte. Os funcionários teriam sido chamados para uma espécie de confraternização e, no local, a reunião seria um ato de campanha.

Copyright © 2013 - 2021 PortalPE10.