Nos siga nas redes sociais

Cotidiano

Idosas são presas usando CPFs falsos para tentar aplicar golpes pela Policia Federal

Mulher apresentou identidade falsa na tentativa de regularizar CPF suspenso

Publicado

em

ás

Duas idosas foram presas em flagrante nas cidades em Caruaru e Limoeiro, no Agreste de Pernambuco, quando tentavam usar documentos falsos na Receita Federal para regularizar CPFs suspensos com  intuito de conseguirem benefícios como aposentadoria e pensões. As prisões, feitas pela Polícia Federal,  aconteceram em duas ocasiões diferentes. O caso em Caruaru ocorreu no dia 3 de outubro, enquanto o de Limoeiro foi registrado na sexta-feira (11).

No caso ocorrido em Caruaru, foram presas a doméstica potiguar Ismerinda de Souza, 68 anos, a pernambucana e também doméstica Marciane Ciqueira Monteiro, 31 anos, e o comerciante pernambucano José Roberto Pereira. As prisões aconteceram quando servidores da Receita Federal responsáveis pelo atendimento de Ismerinda suspeitaram da identidade usada por ela na tentativa de regularizar um CPF suspenso. O documento era do Rio Grande do Norte.

Como em fevereiro de 2016 houve um grande furto de cédulas de identidade em branco no Instituto Técnico-Científico de Polícia (ITEP) do RN, há um registro de alerta para que cédulas de identidade oriundos do estado sempre sejam averiguados com cautela. Questionada pelo atendente, Ismerinda não soube informar o nome da mãe nem o local do próprio nascimento que constava na cédula. Por conta disso, a PF foi acionada e constatou a fraude.

José e Marciane, que estavam acompanhando a idosa, também foram presos. Na tentativa de se livrar da acusação, José chegou a se apresentar como policial federal. Depois do flagrante, foi constatado que Ismerinda já tentou aplicar o mesmo golpe nos estados do Rio Grande do Norte, Ceará e Paraíba. Ela foi autuada por uso de documento falso e encaminhada para a penitenciária feminina em Buíque. Caso seja condenada, a idosa pode ser obrigada a cumprir pena de 2 a 6 anos de reclusão. Já Marciane e José foram autuados por associação criminosa. Os dois pagaram fiança e foram liberados.


Já no caso registrado em Limoeiro, foram presos a paraibana Antônia Maria Batista, 68 anos, a vendedora autônoma potiguar Maria Luiza Pinheiro, 31 anos e a agricultora pernambucana Vilene da Silva Pereira, 34. Assim como em Caruaru, a idosa do grupo tentava utilizar um documento falso oriundo do Rio Grande do Norte para regularizar um CPF suspenso.
Além da identidade adulterada, também foram apreendidos três aparelhos celulares, carteiras de trabalho, cartões de bancos e outros documentos com sinais de falsificação. As três foram autuadas por falsificação de documento público e caso sejam condenadas poderá pegar penas somadas variam de 2 a 6 anos de reclusão. Antônia foi encaminhada para a Colônia Penal Feminina, enquanto Maria Luiza e Vilene pagaram fiança e foram liberados.
Continue Reading
Publicidade
Clique para comentar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Copyright © 2013 - 2021 PortalPE10.