Nos siga nas redes sociais

Cotidiano

Fifa repassa gastos de 870 milhões da Copa a governos estaduais e municipais

Em contato com a Folha de S. Paulo, o COL diz que os governos sabiam desde 2007 da exigência

Publicado

em

ás

O governo das 12 sedes da Copa do Mundo assumiram uma conta de R$ 870 milhões que seria de responsabilidade do Comitê Organizador Local (COL). A denúncia foi feita pelo jornal Folha de S. Paulo em sua edição deste domingo a partir de contratos firmados que mostram que esse custo inicialmente privado foi repassado para o poder público em 2009 através de aditivos.

A mudança foi realizada dois anos após a escolha do Brasil como sede do Mundial. O secretário da Secopa na Bahia, Ney Campello, deixa claro que as cidades tiveram de assinar os acordos para seguirem na competição.

“Se não assinássemos os aditivos, nós estaríamos declinando de ser sede da Copa”, afirma o dirigente.

Um documento fechado entre o COL e a Fifa em 2007, o “Hosting Agreement” (acordo para sediar, em tradução livre) lista entre os compromissos do comitê o fornecimento de tecnologia da informação, infraestrutura para mídia, controle de acesso de torcedores, cercas para isolamento e diversos outros custos relacionados aos estádios.

Ao todo, essas estruturas complementares renderam durante a Copa das Confederações um gasto de R$ 214 milhões às sedes. Para o Mundial, a despesa prevista é de R$ 50 milhões por cidades, totalizando R$ 600 milhões. A conta, assim, chega a R$ 870 milhões.

Em contato com a Folha de S. Paulo, o COL diz que os governos sabiam desde 2007 da exigência de “se responsabilizarem pela entrega dos estádios conforme os requerimentos acordados, inclusive com as estruturas complementares” e que a Fifa assumiu recentemente o custeio da energia dos estádios, gerando uma economia de R$ 47 milhões às 12 sedes.

Continue Reading
Publicidade
Clique para comentar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Copyright © 2013 - 2021 PortalPE10.