Nos siga nas redes sociais

Cotidiano

Disputa por herança motivou morte de advogada,corpo foi encontrado em Água Preta

Detalhes do caso foram repassados pela Polícia Civil nesta sexta

Publicado em

às

A polícia deu detalhes, nesta sexta-feira (24), sobre as investigações que levaram à prisão de três suspeitos de terem participado do assassinato da advogada Severina Natalícia da Silva. De acordo com o delegado responsável pelo caso, Bruno Vital, o principal suspeito de planejar o crime estava envolvido em uma disputa judicial da herança do pai, quando houve um conflito de interesses entre ele e a advogada. “Ele era o principal interessado na morte da defensora devido à disputa do patrimônio de bens deixados por seu pai”, afirmou. As informações foram repassadas em encontro com jornalistas na sede da Polícia Civil, na área central do Recife.

Segundo a polícia, o pai do suspeito teria falecido em 2012 e deixou uma pensão, um carro e um seguro de vida. A herança era disputada pela mãe do homem preso e por outra ex-mulher do pai dele, e Severina teria uma posição mais favorável a esta última. O suspeito ainda é parente de um policial militar, mas as investigações não indicam que ele teria participação no crime.

Os outros dois envolvidos no homicídio podem ter auxiliado no sequestro da vítima, aponta as investigações. Um é primo do suposto mandante, tem problemas cardíacos e se encontra em liberdade, enquanto a participação do outro ainda está sendo investigada. Nenhum deles confessou o crime.

Outras duas pessoas foram presas durante incursão realizada em uma propriedade rural em Camocim de São Felix, pela 3ª Divisão de Homicídios do Agreste. Eles foram autuados por porte ilegal de arma – um deles estava com uma que pode ter sido utilizada no assassinato. “Não se tem dúvidas da polícia civil quanto aos autores e motivos para o crime. Ainda temos 30 dias e vamos continuar investigando dentro do prazo. Não descartamos a possibilidade de outras pessoas serem presas”, ressaltou Bruno Vital. Os suspeitos estão presos na cadeia municipal de Bezerros, no Agreste.

A advogada desapareceu no dia 5 de dezembro de 2013 e foi encontrada morta, um mês depois, perto de um canavial no município de Água Preta, em uma estrada abandonada. Ela teria sido levada por um Fiat Uno até o local do crime, mas um outro veículo maior, que também foi apreendido, também esteve lá. Pelos indícios, a execução foi no distrito, mas os dois automóveis serão investigados para saber se há marcas de sangue. Durante a operação, ainda foram apreendidas seis armas, entre rifles, espingardas e revólveres.

Continue Reading
Publicidade
Clique para comentar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Copyright © 2013 - 2021 PortalPE10 | O Portal que faz a Diferença.