Nos siga nas redes sociais

Brasil

Após matar candidato a vereador, irmão de prefeito se entrega

Publicado

em

Jorge Marra Secretário Obras Patrocínio — Foto: Prefeitura de Patrocínio/Divulgação

O ex-secretário de Obras de Patrocínio, Jorge Marra, autor dos disparos que mataram o candidato a vereador Cássio Remis, foi preso na tarde deste domingo (27) em Patrocínio. Ele se entregou na Delegacia Regional da cidade, onde presta depoimento aos delegados Valter André e Renato Mendonça.

Segundo Mendonça, desde que o crime ocorreu na última quinta-feira (24), cinco testemunhas foram ouvidas e outras devem depor ao longo da próxima semana, entre elas, um ex-prefeito de Perdizes, que não teve a identidade informada, suspeito de ajudar na fuga de Jorge Marra. O delegado também informou que até o momento não está previsto depoimento do prefeito Deiró Marra.

O crime ocorreu na tarde da última quinta-feira (24) depois que Cássio Remis, 37 anos, fez uma live denunciando obras irregulares da Prefeitura. Jorge Marra apareceu e tomou o celular da vítima. Logo após, na porta da Secretaria de Obras, ambos discutiram e o então secretário pegou uma arma e atirou. Imagens de sistema de segurança registraram o crime.

Após o crime, Jorge Marra fugiu. A caminhonete usada na fuga e a arma foram encontradas nesta sexta-feira, no município de Perdizes. No mesmo dia, Cássio Remis foi velado na Câmara Municipal.

Ficha criminal:

O delegado Renato Mendonça informou que a arma usada por Jorge Marra era registrada, mas ele não tinha licença para portar o revólver. Falou também que o ex-secretário tem passagens pela polícia por dois crimes ambientais e, apesar de relatos de que ele andava armado, não tem nenhum nenhuma denúncia sobre agressão ou ameaça.

“A polícia já havia recebido várias denúncias contra a Prefeitura, muitas delas feitas pelo Cássio envolvendo irregularidades administrativas, como o uso de equipamento público para obras particulares. Mas, como são crimes administrativos e não crimes do código penal, não abrimos inquérito. Os casos foram levados para o Ministério Público”, contou.

Pai desabafa sobre crime

Cássio Remis foi eleito vereador em 2008, e presidente da Câmara em 2013/2014. O político exerceu dois mandatos consecutivos 2009/2012 e 2013/2016.

“Sempre atendeu principalmente as pessoas mais simples e pobres. E hoje foi, sem farda, covardemente morto por esse grupo que administra a cidade. Infelizmente, é até inadmissível numa cidade como Patrocínio as pessoas usarem da força pra que possa dominar todas as pessoas”, disse Marcos Remis, pai da vítima.

Ele também contou que o filho foi o vereador mais novo na história política da cidade e tinha uma longa carreira pela frente.

“Dedicou a vida inteira a essa causa. Não teve infância, não teve balada, só se dedicava à política. E tinha, na verdade, pretensões futuras que eu tenho certeza que o horizonte já havia aberto pra ele. Talvez seja esse o motivo pra que eles pudessem ter assassinado de forma brutal e desleal.”

Copyright © 2013 - 2021 PortalPE10 | O Portal que faz a Diferença.