Mata Sul
Publicada em 05/08/2018 às 06h39. Atualizada em 05/08/2018 às 06h50
MPPE recomenda a interdição de matadouros públicos em Catende, na Mata Sul
Decisão foi tomada após vistoria. Condições precárias de higiene e a omissão da gestão municipal foram levados em conta.
Por: Redação PortalPE10 | Fonte: FolhaPE


Após vistoria da Agência de Defesa e Fiscalização Agropecuária do Estado (Adagro), o Ministério Público de Pernambuco (MPPE) recomendou à Prefeitura de Catende, na Mata Sul, a interdição, em caráter emergencial, dos matadouros públicos do município e também de Laje Grande, distrito de Catende. As condições precárias de higiene e a omissão da gestão municipal em tomar medidas a fim de não pôr em risco a saúde população motivaram a recomendação expedida pelo promotor de Justiça de Catende, Rômulo Siqueira França. A prefeitura tem um prazo de dez dias para encaminhar à promotoria relatório com todas as providências adotadas. 

Na recomendação, o promotor exige que a prefeitura esclareça a todos os proprietários de animais, comerciantes e à população em geral, os motivos da interdição dos matadouros e que também faça fiscalização contínua para reprimir a comercialização de carnes sem as devidas normas sanitárias exigidas pela lei.

"Diante do risco iminente para a saúde das pessoas, há a necessidade urgente de desativar o funcionamento de ambos os matadouros para que não ocorra nenhum abate ou se faça a manipulação de qualquer animal", alerta Rômulo França.

A recomendação é um dos resultados do programa Carne de Primeira, do MPPE, a fim de coibir as irregularidades em matadouros públicos. O promotor, inclusive, ressaltou que, há cerca de dois anos, um novo matadouro público foi construído na zona rural de Catende e até hoje não foi inaugurado pela gestão municipal. 

Segundo ele, foram várias as irregularidades sanitárias encontradas em ambos os matadouros. Na sala de abate de bovinos, por exemplo, a Adagro apontou que "encontram-se em precárias condições de funcionamento, higiene e operacionalidade". "Só na sala de abate, viram chão esburacado, parede revestida de cerâmica, vísceras dos animais abatidos misturadas com sangue e nenhuma infraestrutura de escoamento adequada. Em geral, a parte sanitária deixa a desejar em todas as partes dos matadouros. Não há condições de os moradores comerem a carne abatida nesses locais", reforça. 

Além disso, os trabalhadores estavam em contato direto com esses agentes contaminantes biológicos, pois não trabalham com equipamentos de proteção individual (EPIs), como luvas, e as instalações elétricas foram feitas de forma improvisada. A Folha de Pernambuco tentou contato com o prefeito de Catende, Josibias Cavalcanti, mas, até a publicação desta matéria, não recebeu resposta.

Brasil
Dia D de vacinação contra a pólio e o sarampo ocorre neste sábado
Brasil
Pesquisa: como candidato de Lula, Haddad salta e encosta em Bolsonaro
Eleições 2018
Bolsonaro chama de 'analfabeto' quem critica seu plano de governo
COMENTÁRIOS
Os comentários postados abaixo representam a opinião do leitor e não necessariamente a do PortalPE10.
A responsabilidade é do autor da mensagem.