Eleições 2018
Publicada em 11/06/2018 às 15h31. Atualizada em 11/06/2018 às 15h31
Pré-candidato ao Senado, Mendonça tenta se distanciar do governo Temer
O deputado federal Mendonça Filho (DEM) fez questão de citar sua recente passagem pelo Ministério da Educação.
Por: Redação PortalPE10 | Fonte: FolhaPE

Foto: Reprodução

A divulgação da pesquisa Datafolha sobre o cenário presidencial, neste domingo (10), forçou os pré-candidatos da chapa de oposição em Pernambuco a se distanciarem ainda mais da figura do presidente Michel Temer (MDB), reprovado por 82% dos entrevistados. Ao ser anunciado como o escolhido para disputar uma vaga no Senado, durante o evento do bloco, nesta segunda (11), o deputado federal Mendonça Filho (DEM) fez questão de citar sua recente passagem pelo Ministério da Educação. Porém, garantiu que não ocupou o cargo para servir “a um governo ou ao partido”.

Em sua fala Mendonça se referiu à sua biografia, para justificar a escalação. Neste momento, associou sua atuação à defesa dos interesses do estado. “Em todas as funções que exerci, o sangue pernambucano sempre se fez mais forte nas minhas veias”. Em seguida, abordou sua passagem pelo ministério.

“Foi com essa garra e determinação que exerci por quase dois anos cargo de ministro. Para servir não a um governo ou ao meu partido. Mas para servir como ministro da Educação do Brasil. Enfrentando inclusive propostas que estavam engavetadas há vinte anos, como a reforma do ensino médio”, disse.

Antes de seu discurso, Mendonça foi apresentado pelo deputado federal Bruno Araújo (PSDB), que exerceu o posto de ministro das Cidades do governo Temer. O tucano também enalteceu a trajetória do pré-candidato a senador que, na sua visão, o credenciou para encarar o desafio deste ano.

Fernando Filho

O ex-ministro de Minas e Energia Fernando Filho (DEM) – que trabalha para sua reeleição na Câmara Federal – também afastou a tacha de “palanque de Temer” da frente da oposição, durante o lançamento da chapa majoritária. Em sintonia com o discurso do grupo, Fernando lembrou que há aliados do governo federal no palanque do governador Paulo Câmara (PSB).

Buscando concentrar o debate em Pernambuco, o ex-ministro apontou que o titular da pasta de Segurança Pública, Raul Jungmann, e os integrantes do MDB também estão no palanque de Paulo.

Pesquisa

A crise provocada pela paralisação dos caminhoneiros e a lenta retomada da economia aumentaram a impopularidade de Michel Temer. Segundo o Datafolha, 82% dos brasileiros consideram seu governo ruim ou péssimo. A taxa de reprovação aumentou 12 pontos percentuais desde abril, quando o presidente era rejeitado por 70%. Com isso, Temer bate seu próprio recorde como presidente mais impopular desde a redemocratização do país. Em setembro, ele atingira 73%.

Eleições 2018
Dono de empresa suspeita de ajudar Bolsonaro fez o mesmo por Dilma
Política
PSOL pede para TSE suspender funcionamento do WhatsApp em todo país
Eleições 2018
Para juristas, há risco de cassação por compra de disparos no WhatsApp
COMENTÁRIOS
Os comentários postados abaixo representam a opinião do leitor e não necessariamente a do PortalPE10.
A responsabilidade é do autor da mensagem.