Televisão
Publicada em 12/03/2018 às 06h43. Atualizada em 12/03/2018 às 06h52
Apresentador da Globo quase apanha em briga de Todo Duro e Holyfield na TV
'Não teve armação, não teve risadinha antes ou depois da gravação', garante Felipe Andreoli.
Por: Redação PortalPE10


Entrevista foi interrompida por causa dos socos. Foto: Globo/Reprodução
Uma das mais marcantes rivalidades do esporte brasileiro foi transformada no filme A luta do século, sobre os pugilistas Reginaldo Holyfield, da Bahia, e Luciano Todo Duro, de Pernambuco, dirigido por Sérgio Machado (Cidade Baixa) e com estreia no dia 15 de março. Para divulgar o filme, os ex-atletas participaram de uma entrevista no Esporte espetacular, mas o encontro acabou gerando mais uma briga entre os dois. Com informações Diário de Pernambuco.

"Queria deixar bem claro que o que vocês vão ver agora é tudo de verdade. Não teve armação, não teve risadinha antes ou depois da gravação. Os caras ficam o tempo inteiro separados, eles não se gostam mesmo. "Eu sobrevivi à entrevista, estou aqui para contar para vocês", explica o apresentador Felipe Andreoli, antes da transmissão, neste domingo.

A conversa seria em cima do ringue, segundo ele, mas, devido ao clima de animosidade, foi transferida para um espaço em frente ao local de lutas. "Desde chegaram, estão um longe do outro, se encarando", contou. Antes de iniciar o bate-papo, ele ainda brincou com a possibilidade de socos serem trocados: "Eu vim até de preto, porque normalmente o juiz está de preto, se precisar separar a luta. Mas não vai precisar, né?".

O estopim para o murro aplicado por Holyfield foram os comentários de Todo Duro sobre o suposto relacionamento dele com uma namorada do baiano, que sempre nega essa versão para os fatos e diz se tratar de uma ex. "Você fica provocando ele. Você fica falando isso toda vez", reclama Andreoli. No mesmo instante, Holyfield parte para cima de Todo Duro e a entrevista é interrompida, mas retomada depois. 

O título A luta do século se refere à sétima luta entre os dois, realizada no Recife e vencida por Todo Duro, que já havia superado o rival em 96, 2001, 2002. Holyfield, por sua vez, saiu vitorioso em 98, 99 e 2004. "Minha ideia inicial de fazer o filme era mostrar o cotidiano deles", explica. "Apesar de todo o talento que eles têm, eles saíram da miséria e era como se tivesse um ímã puxando isso de fora. Então era um filme sobre a impossibilidade que o Brasil dá a gente, mesmo talentosa, romper barreira", explica. 

Assista à briga (após cinco minutos):

Futebol
Náutico perde por 3x1 para o Bragantino e dificulta acesso
Mundo
Nova Droga conhecida como 'Pó de macaco' faz pessoas pularem de prédios
Brasil
Se aprovado, reajuste de 16,38% do STF irá aumentar desigualdade social
COMENTÁRIOS
Os comentários postados abaixo representam a opinião do leitor e não necessariamente a do PortalPE10.
A responsabilidade é do autor da mensagem.