Brasil
Publicada em 06/11/2017 às 06h48. Atualizada em 06/11/2017 às 06h48
É preciso cortar direitos sociais para haver emprego, afirma chefe do TST
Ives Gandra da Silva Martins Filho também afirmou que será mais fácil ser empregador a partir da Reforma Trabalhista
Por: Bruna Cavalcante Fonte:UOL


É necessário cortar direitos para haver empregos, diz presidente do TST

O ministro Ives Gandra da Silva Martins Filho, presidente do TST (Tribunal Superior do Trabalho), afirmou que é preciso reduzir direitos para manter empregos.

"Nunca vou conseguir combater desemprego só aumentando direito", afirmou.

"Quando você prestigia a negociação coletiva, em que posso contratar rapidamente e demitir sem tanta burocracia, o empregador que pensaria dez vezes em contratar mais um funcionário contrata dois, três. Isso está sendo feito em toda Europa", explica.

Ao ser perguntado sobre a situação do empregado, o ministro diz que as mudanças também serão benéficas.

"Fica mais fácil. Por exemplo, a regulamentação do trabalho intermitente. A pessoa não teria um emprego se fosse com jornada semanal. O garçom, por exemplo, vai trabalhar em fim de semana, determinadas horas. Eu te pago a jornada conforme a demanda que eu tiver. Quando eu precisar, eu te aviso. Com o trabalho intermitente, você consegue ajeitar a sua vida do jeito que quer. As novas modalidades permitem compaginar outras prioridades com uma fonte de renda laboral", justifica.

Sobre os direitos sociais, o presidente do TST diz que não conseguiria combater o desemprego aumentando direitos. "Vou ter que admitir que, para garantia de emprego, tenho que reduzir um pouquinho, flexibilizar um pouquinho os direitos sociais", diz.

Brasil
Petrobras anuncia alta na gasolina e preço sobe 7% em dois dias
Brasil
Certidões de nascimento, casamento e óbito passarão por mudanças
Marinha Argentina
Famílias recebem com comoção notícia sobre possível explosão de submarino
COMENTÁRIOS
Os comentários postados abaixo representam a opinião do leitor e não necessariamente a do PortalPE10.
A responsabilidade é do autor da mensagem.